Web Analytics

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Valuation: a arte de precificar uma empresa

Fala, galera, tudo certo? Este é meu primeiro post de 2014. Surgiu de uma discussão que tive com o Bastter outro dia (e ele inclusive apagou o post). E também vejo que algumas pessoas sem entender o que é Valuation falam pelos cotovelos sem entender o que é. Hoje quero falar um poucão e do básico do básico. Pois é, ficou grande. Mas o assunto é complexo, então fica muito difícil resumir tudo. Vamos lá?
No mercado financeiro, valuation nada mais é do que a ciência/arte de precificar uma empresa. Está muito mais para arte do que ciência, inclusive.

Eu já escrevi sobre isso por aqui em uma série de posts. Você pode conferir o primeiro aqui.
Vou começar do básico do básico. Digamos que apareça um vendedor lhe oferecendo um título de uma empresa bem sólida, mas que ele possui títulos dela. Ainda faltam 5 anos para o vencimento dos mesmos e eles pagarão R$10mil/ano. Ou seja, o fluxo de caixa do mesmo é o seguinte:
Ano
Fluxo
1
 R$   10.000,00
2
 R$   10.000,00
3
 R$   10.000,00
4
 R$   10.000,00
5
 R$   10.000,00
O vendedor está lhe oferecendo R$ 40.000,00 pelos mesmos. E aí, está caro ou barato? Se fosse hoje, janeiro de 2014, você aplicaria neste título?
Caso você não saiba responder esta pergunta, então você está muito, muito, mas muito longe de entender o que é um valuation de uma ação. Pois a matemática é basicamente a mesma.
Segundo Aswath Damodaran, referência mundial no assunto, qualquer empresa pode ser avaliada segundo três variáveis:
- Fluxos de Caixa;
- Crescimento;
- Risco;
Isto é válido para absolutamente todo e qualquer tipo de mercado que envolve ativos, ou seja, aqueles nos quais geram fluxo de caixa.
E seu falasse agora para você que o fluxo de caixa acima seria de uma ação de um projeto (para parear com o exemplo, assim em 5 anos se encerra)? Só que, devido a algumas incertezas, o vendedor lhe explica que o fluxo de caixa não é garantido (mas há um mínimo e um máximo), pois vai depender de uma série de fatores (irrelevantes aqui), mas que na verdade o fluxo de caixa esperado é mais ou menos o seguinte:
Ano
Fluxo
Mínimo
Máximo
1
 R$       7.500,00
 R$         12.500,00
2
 R$       7.500,00
 R$         12.500,00
3
 R$       7.500,00
 R$         12.500,00
4
 R$       7.500,00
 R$         12.500,00
5
 R$       7.500,00
 R$         12.500,00
E agora, você aplicaria R$ 40.000,00 neste projeto?
Veja que da diferença para o primeiro exemplo já surgiu uma incerteza. E também em relação ao primeiro, ela pode variar tanto positivamente quanto negativamente.
Quando transferimos este raciocínio para as ações, ele é exatamente o mesmo. Mas parece que há uma dificuldade incrível das pessoas entenderem é que ao você calcular quanto deveria valer o negócio (ou uma ação), você está embutindo justamente o fluxo de caixa que você irá receber ao longo do tempo.
Tomemos os exemplos acima. Imagine que o investidor A aplicou no primeiro caso e o investidor B resolveu entrar no negócio. Só que para o investidor B as coisas não foram tão bem. Ele recebeu apenas R$ 9.000/ano. Somados, dão R$ 45.000, acima do que ele investiu. Ou seja, ele não tomou prejuízo, não é verdade? Com certeza. Mas o investidor A recebeu R$ 50.000. E sem correr riscos. Teria sido melhor ter investidor no título de renda fixa, mesmo tendo lucro na renda variável.
É aqui que mora o perigo e falácia das coisas: não quer dizer que você está recebendo fluxo de caixa que a opção que você fez é, necessariamente, a melhor!
Recentemente (em 2012), o Banco do Brasil emitiu títulos perpétuos. O que é isso? É um título que vai pagar uma renda fixa para o tomador ad aeternum! Isso mesmo, uma renda fixa para sempre! Isto foi realizado em fevereiro de 2012. Os títulos foram emitidos a uma taxa de 8,48%. A SELIC nesta época estava em 10,5%. E quanto deveria valer este título perpétuo?
O mercado financeiro inteiro gira em torno das 3 variáveis que citei acima. E com ações não é diferente. Pegando aqui um exemplo real, imagine que você compre ações da Grazziotin. Ela pagou juros líquidos de 0,449 em 2012 e 0,442 em 2013. Aqui começam as projeções. Imagine que ela nunca mais irá pagar menos do que 0,40, por exemplo e você queira receber R$ 10mil/ano (como no primeiro exemplo). Seriam então 25.000 ações. Você pagaria, por exemplo, a faixa atual dela, de R$ 18,00, o que daria um investimento inicial de R$ 450.000 ? Muito caro? E se ela estivesse a R$ 10,00, você teria que desembolsar R$ 250.000. E aí, “quer pagar quanto”?
Não adianta se iludir. Você receberá os futuros dividendos da empresa. “Ah, mas tem que comprar sem olhar o preço, parcelando dilui isso”. Filho, se você está pensando assim, então você não entendeu absolutamente nada do que escrevi acima. É totalmente indiferente se compra num aporte único ou diluindo. No longo prazo você irá receber o retorno da empresa.
O Bastter, por exemplo, gosta de falar que Holder tem que comprar sem se importar com o preço. Isso, de cara só de ouvir falar é estranho. Mas eu acho até um absurdo falar uma coisa dessas. É a mesma coisa que dizer que tanto faz comprar a Grazziotin a R$ 5,00/ação ou a R$ 5.000,00/ação. Apesar de, normalmente, o mercado precificar os ativos de forma razoável, nas bolhas e crises eles ficam muito distorcidos e é justamente neste momento que o investidor deve estar mais atento.
Paremos aqui. E vamos voltar para o 2º exemplo lá de cima, onde o fluxo de caixa pode variar entre R$ 7.500 e R$ 12.500. Digamos que eu topasse pagar os R$ 40.000 pelo título da empresa do primeiro exemplo, por xpto critérios meus.
Por critérios muito parecidos eu calcularia o valor para entrar neste projeto e, calculando para máximo e mínimo, eu acharia que eu deveria pagar, aproximadamente, no “mínimo” R$ 27.000 e no máximo R$ 45.000. Claro que qualquer coisa menor que R$ 27.000 seria excelente!
O vendedor está negociando contigo e começou oferecendo R$ 40.000. Por quanto você tentaria comprar? Qual seria o risco que você correria? Por exemplo, você poderia pagar R$ 35.000, mas se o negócio atingir apenas as metas mínimas, você perdeu dinheiro, certo? Errado. No entanto, você deixou de ganhar aplicando no 1º exemplo.
Um analista aqui avaliaria o risco do negócio e verificaria qual seria um valor aceitável. Esta parte é muito subjetiva, pois é completamente impossível prever o futuro. Todo negócio há risco. A equipe toda do projeto pode sofrer um acidente e tudo se perder, por exemplo. Isso não está na matemática. O que fazer? Normalmente ser conservador! Ou seja, jogar os valores sempre para baixo. Pagar, por exemplo, R$ 40.000 seria uma péssima ideia, pois você teria que contar que o projeto fosse super bem durante os próximos 5 anos. E os R$ 40.000 estão muito mais próximos do máximo a ser pago do que do “mínimo”.
Já conseguir comprar por R$ 25.000 seria espetacular. Por quê? Pois mesmo que o projeto vá muito mal, o retorno ainda será maior do que se tivesse investido nos títulos. Mas o investidor tem que ponderar muita coisa para verificar o risco da coisa.
Voltando agora para o mercado de ações: analistas fazem exatamente a mesma coisa. Eles são conservadores!
Os modelos de precificação utilizados no valuation variam muito dependendo do número de anos de crescimento de uma empresa. Na real? A gente espera que a empresa vai crescer muito e por muitos anos. Preste atenção: é aqui que mora o perigo. Se você considerou que a empresa iria crescer 10% ao ano, mas ela só cresceu 7%, você perdeu dinheiro? Não! Mas, com certeza, deixou de ganhar e de forma mais segura, não tenha sombra alguma de dúvidas disso. O preço a se pagar faz TODA a diferença!
Analistas tendem a ser conservadores e consideram que a empresa irá crescer apenas 1 ano, 3 anos ou 5 anos. Quaisquer previsões acima disso já são muito mais otimistas e darão preços bem superiores para as ações.
Voltando ao caso dos anos de crescimento, peguei um modelo simples, considerando a própria Grazziotin, pagando no mínimo R$ 0,44/ação em dividendos por ano. Neste exemplo, considerei crescimento de 9% e crescimento perpétuo de 3%. Pra quem não conhece nada do assunto: isto significa dizer que os dividendos irão crescer 9% durante “x” anos e após isso a empresa estará já muito grande e conseguirá crescer muito lentamente, apenas seguindo uma média de setor/economia, que estou chamando de crescimento perpétuo. Fiz uma tabela com quanto deveria ser o preço da ação em função dos tais “x” anos de crescimento, para este caso:
Anos
Preço Justo
1
7,99
2
8,43
3
8,87
4
9,31
5
9,75
6
10,19
7
10,63
8
11,07
9
11,51
10
11,95
15
14,15
20
16,35
25
18,55
30
20,75
35
22,95
40
25,15
Utilizei uma taxa de desconto de 9%. Por que 9%? Porque a renda fixa está pagando isso líquido! É taxa de livre risco que tenho hoje para aplicar. E é exatamente assim que se compara! Eu não preciso fazer o fluxo de caixa da renda fixa, fazer o da ação e depois comparar. É só fazer o da ação e descontar pela taxa da renda fixa. Matemática tá aí pra isso. Só que tem uma pegadinha nisso que eu coloquei acima.
A renda fixa é uma taxa líquida e garantida pelo governo. Dificilmente você irá tomar um calote ou coisa do gênero. (mas é bom estudar aqui também!)
Já os dividendos vão depender de uma série de coisas, mas principalmente dos lucros da empresa que estão basicamente ligados ao setor, momento macroeconômico e gestão da empresa. Ou seja, existem zilhões de variáveis que podem afetar o fluxo de caixa. Como trabalhar com toda esta incerteza? Adicionando o que é chamado prêmio de risco. Se ao invés de utilizar uma taxa de desconto de 9% eu adicionar um risco de 3%, então refazendo as contas com 12% a tabela fica da seguinte maneira:
Anos
Preço Justo
1
5,33
2
5,61
3
5,89
4
6,16
5
6,43
6
6,68
7
6,93
8
7,17
9
7,41
10
7,64
15
8,70
20
9,62
25
10,43
30
11,14
35
11,75
40
12,29
Notaram a forte queda? Pois então, é com estes valores aqui que o mercado trabalha! Entenda: no mercado, é muito melhor se pessimista do que otimista. Pois o pessimista perde pouco, quando perde. Já o otimista, pode perder muita coisa. Ou deixar de ganhar, como queiram.
Se o analista conservador conseguiu comprar no preço da 2ª tabela e empresa de fato entregou os resultados, então ele fez um excelente negócio. Já se o contrário ocorresse, teria sido melhor então ter aplicado do dinheiro na renda fixa, mesmo ele tendo recebido dividendos crescentes ao longo do tempo!
Resumindo e concluindo tudo:
Não é porque você comprou um papel e está recebendo dividendos e a empresa está crescendo que isso quer dizer que você fez uma boa compra. Você sempre deve comparar o que teria acontecido se houvesse investido na taxa livre de risco. No longo prazo, você receberá exatamente os resultados que empresa irá lhe entregar. Se você pagou mais hoje do que o valor futuro, relativamente a renda fixa, então você deixará de ganhar dinheiro.
Sobre o cálculo do valuation em si, apesar de apenas três variáveis, estimá-las é um processo complexo, que exige muito estudo e um senso praticamente artístico para avaliar o mercado como um todo e como a empresa está inserida neste contexto.
Bom, eu avisei que ficou grande e não gosto muito de dividir os posts. Lê quem tem interesse, não é mesmo?
Espero que tenha ficado bem claro que preço faz muita diferença sim, principalmente no longo prazo.

Abraços a todos!

244 comentários:

  1. Excelente. Comprar uma empresa boa pode ser um investimento ruim se o preço pago for caro. O que o Bastter ensina é para pessoas que não entendem valuation e entrariam All-In na Agrenco, de qualquer jeito o site dele é muito bom por causa dos quadros das ações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Land,

      eu acho que o Bastter é bom para dar um choque de realidade na galera. Isso ele faz como poucos.

      No entanto, daí a falar coisas como "o preço não importa" aí já é outra história.

      []s!

      Excluir
    2. o meu entendimento é que, na metodologia dele, que é uma metodologia passiva, o preço não importa

      Excluir
    3. Não importa a metodologia, preço importa.

      Excluir
  2. armaria, q complicado

    greenblatt > all

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é tããããoooo complicado, mas exige estudo e atenção, pois é muito detalhado.

      Tu usa a tal fórmula mágica dele?! rs

      Excluir
    2. caras, eu lí o livro do greenblatt e achei a fórmula interessante, mas é muito complicado acreditar nisso cegamente. E se não der certo, vc vai reclamar pra quem? no final das contas foi você que aceitou comprar ações baseado em múltiplos sem olhar para a empresa que estava comprando. Pode até dar certo, mas estou fora, pra mim não dá

      Excluir
  3. vc seguiu o modelo de gordon ? vc só considerou a parte do fluxo do acionista, mas poderia ter estimado o potencial de crescimento da empresa de acordo com o payout, e geralmente a parte perpetua é a que gera maior valor para o acionista. abraço Aprendiz. gosto muto de damodaran e alexandre povoa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, segui o modelo de crescimento em 2 fases, como comentei no texto, em função do número de anos de crescimento....

      Sim, poderia ter utilizado o modelo da firma, mas quis utilizar o do acionista pois é mais "palpável" pros leigos.

      []s!

      Excluir
  4. Cálculo bem complexo, pouca gente faz, mas todos deveriam fazer, hoje compramos tudo na base do oba oba.
    Parabéns pelo post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, UB,

      só tem que tomar cuidado aos fazer os cálculos para não ser muito otimista. Mas ainda assim é um assunto que tem muita coisa envolvida. Eu vejo gente utilizando a ferramenta do GuiaInvest de Preço Justo e tomando decisões baseado naquilo. Mas, acredite, aqueles inputs estão errados, principalmente o risco.

      []s!

      Excluir
  5. Excelente. Agora entendi o que é valuation. É só matemática financeira! Mas, uma dúvida. Como chutar os dividendos futuros? Para a loja graziotin crescer 9% de dividendos, ela não precisa investir? O investimento dela não atrapalha os dividendos, por exemplo? Ou é melhor chutar pegando uma média passada?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,

      Comentei no primeiro parágrafo que iria falar do básico do básico, caso não tenha notado. Mas, sim, o princípio é simples VPL. Mas, acredite, existem várias pessoas que investem em ações não sabem nem o que é VPL.

      Sobre suas perguntas, elas já exigem um estudo melhor sobre a empresa, sobre a taxa de reinvestimentos dentre muitas outras coisas. Como eu comentei no texto, essas taxas foram apenas um exemplo, ou seja, ilustrativas, e não representam a realidade atual. Apenas peguei para dar um exemplo um pouco mais perto da realidade e não ficar tudo no teórico.

      Mas, adiantando, essas perguntas possuem caráter técnico e subjetivo. E é necessário ter bom senso, que nada mais é do que, uma proteção ao risco.

      []s!

      Excluir
    2. Caramba, mano. To aprendendo contigo. Quer dizer que qdo fez este tal de valuation para suas ações, tu fez com uma taxa livre de risco de quando o Brasil comprava dólar em R$ 1,50? Porra meu, os valores foram tudo pra baixo, então!

      Excluir
    3. Existem muitas coisas para serem avaliadas. Se quer realmente aprender, compre o livro Avaliação de Empresas do Damodaran.

      []s!

      Excluir
    4. Caramba mano. Tô tentando fazer aqui o que você está ensinando. Queria saber como você trata a variação do capital de giro e a depreciação para o período de crescimento....para ver o que chega para mim, acionista, depois dos eventuais investimentos.

      Excluir
    5. Anônimo,

      sei que está trollando e vou apagar seus comments.

      Mas neste em específico: meu post não foi sobre COMO realizar a análise e sim o PORQUÊ de fazer.

      Excluir
    6. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  6. Bela postagem.
    Não acho que o preço das ações devem ser ignorados. Não adianta pagar caro, mesmo que a empresa boa.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, AdP,

      se fosse assim, pagar qq valor, no frigir dos ovos, os papéis não parariam de subir nunca, não é mesmo?

      []s!

      Excluir
    2. Porque os papéis não parariam de subir?

      Excluir
    3. Elson,

      se pagar qq preço tá valendo, acabaria com um movimento estilo a crise das tulipas. Já que pagando qualquer preço você sempre ganha dinheiro, então seria um loucura, sacou?

      []s!

      Excluir
    4. Cara, mano, e se subir abaixo do acumulado do CDI, mas sempre?

      Excluir
    5. marcio, lembre-se da crise do ponto.com... altas de mais de 1000% num ano...

      anon, nunca vai subir pra sempre abaixo do acumulado do cdi porque o mercado vive de mania (euforia) e depressão... este ano sera tenso (ou nao) por causa da reeleicao da dilma (queda, depressão), ai ela fala qqer merda e todo mundo pira, sai comprando ação a qualquer preço e vira aquele rolo danado...

      procure o alexander elder que la explica mais ou menos a dinamica psicologica da coisa...

      Excluir
    6. Sierra,

      este anon é troll, esquece ele.

      []s!

      Excluir
    7. percebi mais abaixo!

      []s

      Excluir
  7. de todas as formas de avaliar empresas
    a pior eh pela cotação
    nao eh a toa q eh a q a midia e a sardinhada mais usa

    valuation nao serve pra nada
    so serve pra sustentar o sistema
    socio foca no lucro
    nao olha preco e nao faz previsao do futuro

    perdao mas o que vc falou nao tem nada a ver
    puro bullshit
    curto prazo cotacao = fluxo
    longo prazo cotacao = lucro

    holder nao faz previsao furada sobre futuro
    socio foca no trabalho poupa e investe em boas empresas com lucros consistentes
    sardinhada pira com cotacao

    Bastter

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Damodaran discorda.

      Prefiro a opinião dele do que a sua.

      []s!

      Excluir
    2. Eu também! KKKK

      Excluir
    3. Esse cara que posta imitando o Bastter é muito bom! Hahaha

      Excluir
    4. Troll, +1 rs...

      []s

      Excluir
    5. Victor, só faltou ele dizer que não é disputa de métodos e que "vc nao precisa provar nada pra ninguem".

      kkkkk!

      Excluir
    6. Facebook: Se você leu com a voz dele da joinha...rs

      Excluir
  8. Muito bom o post. Parabéns.

    ResponderExcluir
  9. Muito bom a postagem dimarcinho,
    Contudo na minha opinião existem dois empecilhos para o pequeno investidor ao analisar o valuation de uma empresa.
    Primeiramente a sua complexidade. Como você mesmo disse acima, calcular o valuation é quase uma arte, a pessoa tem que ter uma noção muito grande de risco, fluxo de caixa e crescimento da empresa. Uma coisa interessante é que nós da blogosfera que em grande maioria somos mais imersos neste mundo chutamos um crescimento da empresa sempre, e digo sempre, errado, muitas vezes para mais do que para menos. Imaginou o investidor que não está tão acostumado a essas informações.
    Outro ponto que eu também fico muitas vezes pensando é o seguinte. Indiferente do valor do valuation, o mercado é e sempre será absoluto. Se você fez um valuation mais próximo do real, e ele está abaixo do que o mercado está trabalhando, por exemplo, no valuation um valor bom para se pagar na empresa é R$10,00, porém ela está sendo cotada a R$15,00. Não tem reza brava que faça com que você consiga comprar este papel agora por R$15,00. De acordo com a lei da oferta e demanda que rege todos os mercados, a demanda está fazendo ela estar sobrevalorizada.
    Na minha opinião o único objetivo do valuation seria escolher qual empresa comprar as ações de um portfólio já escolhido. Um exemplo, você tem BBAS3, CRUZ3, GETI3, ITUB4 e PSSA3 que você quer investir, contudo, você só vai fazer um aporte, então você faria o valuation das cinco empresas e o valor que estivesse menor perante ao valuation você compraria, neste caso eu acho interessante o cálculo do valor da empresa.
    CONTUDO, cairíamos ainda no quesito, complexidade. Bancos não tem o mesmo risco que seguradoras que também não tem o mesmo risco que as elétricas, que também não tem o mesmo risco que as empresas de tabaco. No exemplo que você fez, adicionando-se somente 3% de risco, o valor do primeiro ano caiu 33%!!!! É uma diferença muito grande se errarmos apenas algumas variáveis.

    Porém, respeito a ideia de utilizar o valuation. Ele é muito, mas muito bom quando você tem em mãos as variáveis com os valores corretos. Se você acertar o mais próximo possível as três variáveis, o resto meu amigo, é pura conta de matemática.

    Agora, na minha opinião eu prefiro as coisas simples, elas tendem a ser menos precisas mas com um custo benefício muitas vezes melhor. Vou fazer uma postagem sobre a minha visão de como encontrar a melhor oportunidade dentre uma quantidade de ações. Te espero com os comentários :)

    Uta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, estagiário!

      Eu entendo que o processo é complicado, mas isso não quer dizer que o pequeno investidor não possa aprender.

      Obviamente a qualidade da empresa interessa, pelo simples motivo que fica mais fácil estimar seus fluxos de caixa, pois ela passa mais confiabilidade, sacou?

      Agora, dizer que PREÇO NÃO IMPORTA.... aí já é demais.

      E até por isso e muito importante, é que mesmo que a empresa vá bem não quer dizer que, como coloquei no texto, q vc está ganhando mais do que se tivesse colocado na RF.

      Sobre a granda variação, foi justamente na taxa de desconto, ou seja, na variável Risco. Isso quer dizer que comprar Grazziotin hoje por R$ 5,33 seria ridículo.

      E discordo com vc em relação aos preços. Meu erro em Natura foi clássico: calculei preço justo de R$ 42 e comprei a R$ 53 exatamente com este pensamento (ah, está muito longe, nunca mais vai voltar para lá). Estou olhando ela aqui agora a 37,90 no meu HB.

      Quando escrevi aqui sobre aqueles 4 investidores brasileiros bem sucedidos, um deles no fundo do poço de 2008 comprou apenas QUATRO ações. Isso mesmo, dentro dos critérios dele, apenas 4 papéis passaram. Querm mais conservadorismo do que isso?!

      Confesso que o método não é simples. Mas as pessoas tem a mania de buscar a fórmula mágica e sem esforço para tudo dar certo, ou o famoso não fazer nada e ganhar muito. Não vejo nenhuma área funcionar assim.

      Pode deixar que comentarei por lá sim! =]

      []s!

      Excluir
    2. Dimarcinho,

      Acho que não é o processo em si, mas sim saber escolher devidamente os valores das variáveis.

      Logicamente o preço importa sim, mas não confio muito em analise de previsão, gosto do que agente tem aqui e agora, que na minha opinião é o que importa.

      Sobre a Natura, você acredita que quando fez a análise você contou com o motivo dela ter caído ? Quero dizer... O motivo dela ter saído de R$53,00 e ir para R$37,90 foi por causa de um problema administrativo da empresa ou foi porque ela estava sobrevalorizada e caiu ?
      O resultado destas duas probabilidades é a mesma, mas existe uma grande diferença entre ela cair por motivos que o lucro caiu e consequentemente os investidores cotaram ela a um preço menor e ela ter caído porque os lucros estavam constantes, mas os investidores verificaram que a ação estava muito "cara" e por isso ela foi a patamares de R$38,00.

      Não existe fórmula mágica para nada, muito menos sentar e esperar o dinheiro cair no colo. Temos que estudar, e verificar qual a melhor maneira para cada um investir.
      :)

      Uta!

      Excluir
    3. Quando meu me referi ao processo, me referi como um todo, inclusive na escolha dos valores. =]

      Sobre a Natura, logicamente pode ter sido apenas uma correção, mas este tipo de análise é para você ter um referencial. Quando você analisa os fundamentos você tem apenas fatores QUALITATIVOS. No entanto, pra você ganhar dinheiro você precisa analisar os fatores QUANTITATIVOS. E isso não tem jeito, só com uma análise mais criteriosa mesmo.

      Mas, entenda o seguinte: pagando R$ 53 por algo que deveria valer R$ 42 é um "prejuízo" de cara frente a taxa livre de risco, sacou? Na verdade, calculei R$ 42 sendo conservador e utilizando taxas bem abaixo de seu histórico. Caso a empresa consiga manter o mesmo ritmo dos últimos anos, então é possível que isso não se torne um prejuízo.

      To achando que você não entendeu o conceito do texto.....

      Excluir
    4. Dimarcinho, o estagiário está certo. Ele só disse que o "mercado - você" pode ter precificado a ação em 35 reais. Inclusive, ter precificado de forma mais correta.

      Excluir
    5. Se precificou a natura assim, por que agiu contrário? Método furado este ...

      Excluir
    6. Foi um erro meu. Sou humano e cometo erros.

      Excluir
    7. Conheço um cara que precificou ELPL4 por R$ 15 quando ela custava R$ 32. Comprou por R$ 28 e está com ela até hoje! kkkk!

      Excluir
    8. hum... deixa eu imaginar... é um pobretão de mentira?

      Excluir
    9. Eu entendi Dimarcinho,

      O conceito de que o valor de compra do ativo importa, e que as vezes a cotação pode estar tão alta que ao comprar um determinado ativo você estará tendo um prejuízo, visto que ele está super sobrevalorizado.

      Isso acredito que não há discussão, pois somos da mesma opinião.

      Agora, o que divergimos é sobre a utilização do valuation.
      Existem diversos fatores que devemos levar em conta na hora que nós vamos fazer as contas que para encontrar um valor próximo do ideal precisaríamos de tantas variáveis que chegaria a exaustão a análise.
      Na minha concepção temos que ver o agora, o que tem pra hoje.
      No caso do valuation nós tentamos avaliar como uma empresa estará daqui um ou dois anos para tentar encontrar um preço ideal hoje. Não vejo muita eficiência nisso, pois você está estimando valores para encontra um preço que hoje pode não ser negociado. Se você encontrar o preço ideal de R$10,00 para um ativo e ele estar sendo cotado a R$20,00 você não poderá fazer nada para baixá-lo. Poderá sim utilizá-lo para verificar se está caro ou não, mas como você mesmo disse, se formos conservadores, os valores estarão em grande maioria acima do valor real, então qual seria o motivo de fazer o valuation ?
      Acho que a pergunta principal seria como o valuation vai ajudar o pequeno investidor a saber qual ação irá comprar/aportar, sendo que ao ser conservadores nós iremos encontrar valores sempre maiores do que os atuais ?

      Uta!

      Excluir
  10. onde que dá joinha aqui, Marcio? :-)

    ontem terminei a segunda leitura de O investidor inteligente e este trecho me chamou a atenção:

    "Graham está dizendo que não existe tal coisa como uma ação boa ou má; o que há são apenas ações baratas e ações caras. Mesmo a melhor companhia se torna uma "venda" quando o preço de suas ações está alto demais, enquanto que vale a pena comprar a pior companhia quando suas ações estão suficientemente baixas."

    acho que é um bom complemento a tudo o que vocẽ disse.

    abraço.

    PS. apesar de respeitar o bastter e gostar muito dos quadros de ações, ele viaja um bocado em certas coisas, talvez porque o nível dos foristas lá o obrigue a isso, já que nego vem falar de política, amianto e "por que a ação subiu/caiu hoje?" ou "a empresa pode reverter não é?", ouse seja, um publico potencialmente comprador de lixo que nem sabe o porque de suas ações (como eu era até poucos dias).

    porém isso impede a existencia de caras empreendedores (como o mobral que comprava turnarounds), de caras que investem efetivametne em valor e nega que se de valor ao seu aporte, como eu sempre digo. ele fala aquele lance que socio tem que querer comprar sempre mais alto. o meu XXX.... eu quero que os administradores cuidem do negocio, que as cotações cuidarão de si mesmas... ai no dia que "cai o mundo", vou la e aumento minha posicao mais barato...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não coloquei joinha por aqui! :-P

      Sim. Gente, fico abismado. É ÓBVIO que todo item tem um preço implícito. Este preço pode até variar de pessoa para pessoa, devido ao próprio custo de oportunidade das mesmas, mas sem sombra alguma de dúvidas que em vários momenos os preços mostram distorções ficando mais caros ou mais baratos.

      Sobre o Bastter, como eu disse acima, ele é bom pra dar um choque de impacto nas pessoas. Mas quando você quer discutir alguma coisa mais técnica ele volta pro discurso de vitrola "sardinha que olha preço só perde, acompanha os lucros, compra e esquece, blá blá blá."

      É só fazer o que ele fala? Ninguém para pra pensar e avaliar os porquês, não? Pois é.

      []s!

      Excluir
    2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  11. precificar uma empresa apenas pelos dividendos parece meio falho, primeiro as empresas ditas de crescimento tem payout baixo ou inexistente, segundo você desconsidera a taxa de reinvestimento do lucro que esta ligado a margem e ROE da empresa, parte que também pertence ao acionista. sei que fez algo ilustrativo, mas como você disse tentar simplificar demais algo pode prejudicar o entendimento por exemplo: escoamento de um fluido....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como eu disse, fiz um exemplo básico e ilustrativo. Não foi uma análise da empresa.

      E existem dois modelos: para o acionista e para firma. Coloquei o dos dividendos, pois fica mais próximo do investidor. Tente precificar um banco pelo modelo da firma, por exemplo...

      []s!

      Excluir
    2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  12. Excelente texto e fechado com chave de ouro no parágrafo que segue :

    "Não é porque você comprou um papel e está recebendo dividendos e a empresa está crescendo que isso quer dizer que você fez uma boa compra. Você sempre deve comparar o que teria acontecido se houvesse investido na taxa livre de risco. No longo prazo, você receberá exatamente os resultados que empresa irá lhe entregar. Se você pagou mais hoje do que o valor futuro, relativamente a renda fixa, então você deixará de ganhar dinheiro."

    Acho que este parágrafo resumiu todo o texto. Se fosse um artigo de publicação seria o meu "abstract" antecedendo ao texto completo.

    Isso gerará a ira dos seguidores de Bastter!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Guardião!

      Bastterietes Haters gonna hate! rsrsrsrs

      Pois então: a mensagem é EXATAMENTE essa deste parágrafo. Não consigo escrever mais simplificado do que isso, por isso fiz um texto gigante com exemplos bobos e bem passo-a-passo...

      []s!

      Excluir
  13. Excelente postagem sobre valuation e é conversa fiada esse papo de que preço não importa, todo mundo que comprar ações de grandes empresas ao preço mais barato que for, inclusive eu que me considero sócio das empresas através de ações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fábio,

      é simples: quanto mais barato pagar, mais ações você conseguirá comprar e, consequentemente, mais dividendos receberá. Ou seja: maior será retorno.

      Mas a grande questão que quis colocar é que mesmo que tudo dê certo, se vc tivesse aplicado e renda fixa poderia ter ganho mais.

      E aí?!

      []s!

      Excluir
  14. Dimarcinho, que tal um estudo de tempos em tempos dos "preços justos" de empresas do nosso dia-a-dia. Acharia muito interessante e agregaria bastante. Fica a sugestão... Já teria uma lista de sugestões (hehehe) : CCR, VALE e TAEE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comprei CCR e TAEE a uns meses atrás por acharem que estavam com um preço bom, acredito que hoje ainda estejam, mas pra falar a verdade nem sei quanto tão valendo.

      Excluir
  15. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  16. Apesar de achar interessante estes artigos, particularmente não utilizo fórmulas de preço justo em ativos. Mas isso não quer dizer que eu despreze o preço de mercado de uma ação. Citando a Grazziotin, mesmo achando-a uma excelente empresa, eu não pagaria hoje, digamos, 90 reais por ação.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adp, por que qualquer pessoa pagaria 90 reais numa ação que custa 17 na pedra?

      Excluir
    2. Acho que você não entendeu. Eu falei muito bem que eu não desprezo o "preço de mercado de uma ação", que é o mesmo "preço na pedra" que você se refere. Quando disse sobre os 90 reais, me referi 90 reais na pedra. Algumas pessoas dizem que tem que pagar o preço que for só porque a empresa é boa. Eu discordo.

      Excluir
    3. Quando ela custar 90 com fundamentos excelentes, não vejo motivo para deixar de comprar. É o caso de M. Dias, por exemplo

      Excluir
    4. Concordo. Mas como disse e vou repetir, não pagaria hoje, caso custasse isso, só porque é uma empresa boa.

      Excluir
    5. E quando você diz que compraria por 90 com fundamentos excelentes, você concorda então que o preço deve ser sim levado em consideração. Citando a MDIA, sou sócio e pago tranquilamente seus 100 reias atuais por ação. Mas caso custasse 1.000 cada ação pela empresa atual, eu não pagaria. Esse negócio de que sócio precisa pagar o preço que for é muito bonito de ser falado em mercado de baixa, mas não há sentido nesse radicalismo.

      Excluir
    6. Adp, entendo o que você quer dizer. Porém, acho que estamos falando de coisas diferentes. Você parece estar falando de euforia e bolha. Eu falo de fundamentos e expectativas, que se forem correspondidas pela empresa, ela valerá o preço que o mercado se dispuser a pagar por ela.

      Excluir
    7. Troll,

      o que o AdP quis dizer é se daqui a alguns dias a MDIA chegar a R$ 90 ele não vai pagar isso por ela.

      Agora, atente para o que você escreveu:
      "Eu falo de fundamentos e expectativas, que se forem correspondidas pela empresa, ela valerá o preço que o mercado se dispuser a pagar por ela."

      O preço que está na pedra além de refletir diferentes expectativas de diferentes investidores, nunca se esqueça que o mercado financeiro também possui um movimento extremamente especulativo. É muito comum os preços descolarem da realidade, mesmo sem termos crises ou euforias aparentes.

      Dá uma olhadinha em como é feita a precificação de títulos de renda fixa e vc vai entender que fica bem claro que é possível tomar "prejuízo" MESMO COM CRESCIMENTO DA EMPRESA.....

      Excluir
    8. Dimarcinho, ele está falando de Grazziotin. Claro, se uma empresa sai de R$ 17 para R$ 90 em poucos dias, eu também não compro mais. Mas este seria um caso extraordinário, que provavelmente seria fruto de forte especulação (bolha e euforia, como eu citei). Não estamos discutindo casos particulares aqui, certo?

      "Eu falo de fundamentos e expectativas, que se forem correspondidas pela empresa, ela valerá o preço que o mercado se dispuser a pagar por ela."

      Não deixei explícito nessa passagem, mas é claro que estou falando de longo prazo. Sobre movimentos especulativos e expectativas, você está totalmente correto quando se trata de curto prazo. Como exemplo, a MP das elétricas derrubou a cotação de várias empresas, mesmo daquelas que não foram tão atingidas assim. Logo, no curto prazo haverá um descolamento de preços dos fundamentos, pois o mercado exagera em momentos de pânico.

      Se é possível tomar prejuízo mesmo com a empresa crescendo? Sim, mas não creio que fazer o valuation do Damodaran irá garantir que isso não ocorrerá, já que não existem métodos perfeitos.

      Excluir
    9. Sem sombra alguma de dúvidas, nenhum método é perfeito. Mas realizar uma análise quantitativa vai lhe permitir ter um norte muito melhor.

      Empresas com altos P/L's por exemplo possuem sobre as mesmas grande expetativas de crescimento. Se elas não corresponderem este crescimento, o investidor irá tomar um prejuízo (mesmo!), ainda que a empresa continue crescendo.

      A análise de governança, retorno, lucros e etc é uma análise QUALITATIVA.

      Mas há que realizar a análise QUANTITATIVA. Você pagaria R$ 20 na AMBEV? E R$ 30? E R$ 100? E R$ 200?

      Se você não pagaria R$ 200, então é pq existe algum ponto ou faixa da qual não é interessante mais pagar por ela. Ou qualquer outro papel.

      Eu acho isso tão simples! rs

      Excluir
    10. Olha esta frase

      "Empresas com altos P/L's por exemplo possuem sobre as mesmas grande expetativas de crescimento. Se elas não corresponderem este crescimento, o investidor irá tomar um prejuízo (mesmo!), ainda que a empresa continue crescendo."

      Quando você precifica, voce não está estabelecendo espectativas não? E se a empresa nã corresponder as suas expectativas? Qual a chance de ela nao corresponder às suas expectativas e qual a chance de ela não corresponder às expectativas do mercado que tá pagando um preço supostamente alto por ela?

      Eu hein, cada uma, vc é o escolhido de ter uma opinião diferente do mercado todo?

      Excluir
    11. É muito simples mesmo, tanto que falamos exatamente a mesma coisa se você reler o que escrevi! rs

      Mas veja bem, quando uma empresa não corresponde às expectativas de crescimento do mercado, haverá sim uma correção, o que não se traduz necessariamente em prejuízo no sentido de perda financeira. Pode ser um prejuízo se falarmos em custo de oportunidade em relação à RF, pois se uma ação não se move por dois anos ou passa a subir de forma mais lenta do que no passado, isso é uma forma de ajuste, mas não representa perda de capital. Inclusive, e acho que você vai concordar, os períodos de ajuste são ótimos para quem é jovem e está em fase de acumulação de patrimônio!

      Excluir
    12. O que é falado por aí é que o preço de um ativo (imóvel, FII, ações, etc) não serve para nada. Para ser sincero eu nunca vi este radicalismo em lugar nenhum. E tenho certeza que você nunca viu também. Você mesmo disse que se um investidor investisse em ações da mesmo forma como ele investiria na padaria do bairro, ele evitaria muitos erros. Você compraria na padaria do bairro sem analisar também seu preço.
      Afinal de contas, minha pergunta é: Você acha que por mais que um ativo seja bom, tanto faz o preço a ser pago por ele? Sim ou não?
      Se você dizer que sim, então não há muito o que discutir.
      Abraços

      Excluir
    13. ADP, não vale.

      O Bastter é um empresário acima de tudo. E não podemos negar que ele é muito bom em marketing pessoal. Olha como ele foi citado nesse post! Não importa se concordam ou não com ele, estamos falando dele!

      O que quero dizer é que quando ele afirma de forma enfática que o preço não importa, isso é apenas uma das muitas frases de impacto que ele costuma usar.

      É necessário esclarecer que ele não faz essa afirmativa de forma absoluta. Ele apenas afirma que ficar obcecado por precificação eleva o risco se o investidor não sabe fazer direito e também não garante maiores ganhos em relação a quem não faz. Ele é totalmente prático nesse ponto.

      Excluir
    14. Anônimo, ainda não tinha visto seu comment:

      Eu utilizo em meus cálculos expectativas abaixo do mercado. Achei que isso tinha ficado claro no texto: ser conservador na análise.

      Troll,

      AdP deu um excelente exemplo da padaria. E, me desculpe, mas o Bastter GRITA que preço não importa pra holder.

      []s!

      Excluir
    15. Dimarcinho, como eu disse, o Bastter GRITA mesmo, pois ele precisa ser OUVIDO.

      Por mais que você discorde, não pode omitir que naquele tópico ele disse claramente que não tem nada contra precificação, inclusive citando o exemplo do Mille, que é um cara que ele tem como gênio. Não o conheço, mas o respeito, pois sei que ele já certou o lucro trimestral da Eztec, que é uma empresa de crescimento (se fosse uma elétrica seria muito mais fácil, dada a previsibilidade do fluxo de caixa e dos custos operacionais).

      Tanto as frases de impacto quanto os coices são puro marketing.

      Don't take it personal!

      Excluir
    16. Fala, Troll,

      a questão é que ele criou uma divisão na cabeça dele: B&H e trade de valor.

      Mas o verdadeiro B&H leva em conta TUDO. Você está correndo o maior risco do planeta quando leva pro longo prazo: perder tempo de vida.

      E fazer isso utilizando APENAS uma análise qualitativa? Não faz muito sentido para mim. Nem pro Damodaran.... rs

      Excluir
    17. Cara...por incrível que pareça, lendo as suas respostas e as argumentações dos demais, me passa a sensação que o Bastter está é correto!

      Excluir
  17. Preço justo é o preço que tá na pedra. Enquanto você fica aí fazendo trocentos cálculos para "precificicar" uma ação, eu foco meu tempo em ganhar mais dinheiro e poupar mais. Muita gente não comprava ABEV3 com esse argumento pífio de que a ação estava cara. Enquanto o povo falava isso, a ação continuava subindo igual um foguete. E aí? Não interessa se você comprou a 10, 20, 30, 40 ou 50. Se a empresa é boa e tem lucros consistentes você vai ter retorno no longo prazo, seja via distribuição de proventos, seja via valorização das ações, seja via os dois. Outra coisa, esse tal de Aswath Damodaran tem dinheiro? Porque ficar fazendo continhas qualquer um faz, mas esse cara é bilionário estilo Warren Buffet? Ninguém aqui tem bola de cristal, a verdade é que essas fórmulas nunca dão certo simplesmente porque elas não podem prever o futuro.

    Essa é minha opinião.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você cita Warren Buffett, que teria um discurso completamente diferente do seu. E ele tem dinheiro!

      Excluir
    2. WB compra 30% da empresa enquanto a gente compra 0,00000000003% da empresa. Você quer comparar mesmo?

      Excluir
    3. WB é o cara...

      Excluir
    4. se o cara com dinheiro faz isso, ele deve perceber algo que nõs não... e ele faz isso desde que era molecão pobre... depois que formou a buffett partnership com alguma grana e continuou aplicando os princípios de graham melhorados...

      Excluir
    5. Libre, leia o livro A Bola de Neve e verá que Buffet já usava precificação antes de ser milionário, quando ele era jovem ele comprava várias empresas que estavam extremamente baratas, mesmo na em 1987 quando ele comprou a Coca Cola ele só comprou porque além do negócio ser bom o preço era justo.

      Além disso pare com essa coisa de falar que a ação está cara porque custa 100 reais, porque na precificação se olha o Valor de Mercado. O preço de cada ação é um valor totalmente abstrato que depende do número de ações emitidas pela Cia.

      Excluir
    6. O WB não compra quando acha preço justo, ele compra quando a oportunidade é única, fantástica ... ficar comprando por preó justo e vendendo em seguida é seguir metodologia de analistas de fundos ativos, sendo que muitos perdem para o mercado e só fazem isso da vida.

      A metodolgia do WB é diferente, ele pega todo o dinheiro dele uma vez por ano, ou a cada 2 anos, e coloca na empresa que ele avaliou que está barata e não vende nunca. Qualquer livro dele diz que ele usa uma metodologia semelhante a do baseball, em que ele só rebate quando tem certeza que a oportunidade fantástica, por isso ele sabe deixar passar muitas oportunidades, mesmo as boas, e que aparece apenas uma oportunidade fantástica por ano ou em mais tempo. O problema é que ele é um gênio, e gênios sabem o que estão fazendo.

      As pessoas têm dificuldade de admitir que nós não temos como nos comparar com os gênios. Vai tentar jogar futebol com o Neymar ou o Messi, não dá, os caras são os melhores dos melhores, isso se aplica ao tênis, ao automobilismo ou qualquer assunto. Temos mania de achar que nós fariamos melhor ou igual aos maiores especialistas. Não é a toa que a seleção de futebol tem 200 milhões de técnicos, mas 198 milhões são pessoas incompetentes que mal conseguem concluir seu próprio trabalho com eficiência, mas o cara acha que poderia ser melhor que o técnico de plantão na seleção.

      Nós, os mortai, temos que nos conformar em encontrar um método vencedor no longo prazo que minimize os riscos. Quer investir como Buffet, faça como ele, pegue TODA a sua grana e coloque num negócio que acredita, mas se der errado, porque você não tem a informação ou competência, não vá ficar reclamando em fórum, blog etc. Mas usar método do Buffett para achar preço justo para ficar fazendo trade eu acho um pouco prepotente.

      Para mim é claro que o preço importa, mas importa tanto quanto o timing ... quem de nós acha que pode controlar estas e outras variáveis? Eu já desisti ...

      Abraços,
      Blog Economicamente Incorreto
      http://economicamenteincorreto.blogspot.com.br

      Excluir
    7. Investidor Livre,

      me desculpe a sinceridade, mas seu comentário demonstra que você não entendeu absolutamente nada do que eu escrevi.

      Incorreto,

      bom comentário. Mas a questão do preço justo não se invalida com isso.

      []s!

      Excluir
    8. Marcinho,

      Precificação para mim significa prever o futuro. Respeito seu estudos e seu posicionamento mas para mim é perda de tempo.

      Abs.

      Excluir
    9. Vc apenas reafirmou que não entendeu nada.

      []s!

      Excluir
    10. No meu caso como eu disse, claro que faz diferença comprar barato, o problema é acertar o timing, desta forma eu acho que chance de errar é maior que acertar.

      Excluir
    11. Mas com a ideia de preço justo vc não precisa acertar timing. É só verificar quando o ativo está abaixo ou acima do preço justo....

      Excluir
    12. Ah tá, então é só acertar o preço justo!

      Esqueceu de falar que tem que rezar, kpois você colocou uma bolada (pra fazer diferença) e o preço pode nunca mais voltar ou continuar caindo. O que garante que ela vai voltar para o preço justo?

      Excluir
    13. É... pelo visto vc tb não entendeu. Sorry.

      Excluir
    14. Economicamente incorreto,
      O pessoal fica repetindo várias histórias sobre WB, sem às vezes chegar a fonte.
      Vá ver o portfólio da Berkshire e vai observar que eles não tem 5/6 empresas, mas dezenas delas.
      WB também já comprou empresas, e não deu certo, e girou patrimônio.
      WB também analisava ações por modelo de precificação, até porque se ele vai fazer aportes grandes como ele vai fazer se não tiver um modelo de precificação? Vai no escuro?
      Então, não é bem assim.

      Qual a dificuldade de entender se você paga numa empresa um P/L de 40, inverte a conta e vai ver que está recebendo 2,5%. Se o ativo de risco está remunerando 10%, não tem o menor sentido comprar uma empresa com um P/L dele, a não ser que você esteja comprando a expectativa de crescimento futuro de forma acelerada de uma empresa.
      Ora, você também ao comprar uma empresa dessas está tentando adivinhar o futuro, pois está comprando expectativas futuras que já estão incorporadas no preço do ativo. Portanto, se falam que fazer valuation é adivinhar o futuro, estão fazendo a mesma coisa ao comprar empresas selecionadas e fazendo gestão ativa.

      Gestão passiva não é Buy and Hold. Gestão passiva é indexar o seu retorno ao retorno do mercado. Você pode fazer isso muito bem nos EUA, com suas centenas de ETF, com baixo custo e grande diversificação. Era o que eu iria fazer, inclusive com exposição internacional, se eu aplicasse lá. Aqui no Brasil não é tão fácil.
      Gestão ativa é fazer stock picking. Portanto, se você está escolhendo empresas "boas", está fazendo gestão ativa.

      Abraço!

      soulsurfer

      Excluir
    15. Soulsurfer, quem falou em 5/6 empresas? por acaso estes caras estão investindo só por 10 anos. Leia os livros do WB e verá que ele investe por mais de 60 anos, quantas empresas vc acha que dá pra comprar neste período. É óbvio que o cara chegou neste patamar e agora não dá pra comprar só uma empresa por ano, pois isso não faria cócegas no portfólio, mas verifique como foram os primeiros 20 ou 30 anos dele. Alias, quantas foram as grandes tacadas dele? as mesmas que estão em todos os livros (Coca Cola, Gilette, etc).

      Com respeito a valuation, eu já disse que preço importa, mas então qual a melhor metodologia de investimento considerando o preço? pega todo o dinheiro e compra de tacada ou compra mensalmente? Quero saber a metodologia de investimento indicada!

      Acho que você tem dificuldade para entender o que eu disse. Eu falei em Buy & Hold passivo e não gestão passiva. B&H passivo é: monta carteira com boas empresas (seus critérios) e vai comprando mensalmente equilibrando o patrimonio, sem girar (comprar e vender), sem se importar muito com preço. Você acha isso ativo ou passivo?

      Claro que ETF é passivo, mas é quase a mesma coisa, pois o ETF vai ter uma cesta e vai equilibrando conforme uma metodologia. Ativo é você ficar de olho em valuation e decidir o que comprar ou vender de acordo com a cotação.

      Aliás, só pra dizer mais uma coisa sobre o WB, se pedir para ele uma indicação de investimento, ele vai recomendar uma metodologia passiva em ETF, pois é muito menos arriscado e deve ser uma melhor relação risco/retorno para o investidor amador. Pesquise e verá que ele já se manifestou a este respeito.

      Abraços,
      Blog Economicamente Incorreto
      http://economicamenteincorreto.blogspot.com.br

      Excluir
    16. EIncorreto,
      Sim, conheço a recomendação dele sobre ETF, e era o que eu iria fazer se estivesse num mercado maduro.

      Bom, não sabia que existia BH passivo contra BH ativo. Pensei que existia gestão ativa, e gestão passiva. Se é este o conceito que você dá para BH passivo, ok, concordo contigo.

      Para mim é gestão ativa. Se você escolhe "boas" empresas, está de alguma maneira querendo ter retornos maiores do que o retorno que o mercado fornece por algum benchmarket. Ok. É o que eu tento fazer. As pesquisas acadêmicas não estão do nosso lado.
      No mais acho que é uma questão meio que semântica ficar distinguido BH passivo de ativo, opinião apenas.

      Sim, já li alguns sobre WB. Inclusive livros mais realistas sobre o mesmo, o que é importante para se ter uma visão mais global. Gênio das finanças, opiniões interessantes sobre alguns assuntos da vida, bacana. Sim, concordo com você. WB já comprou ação de aviação, apesar do conselho deu de se manter afastado delas. WB já comprou e vendeu ação em menos de 1 ano com prejuízo. Normal, ele mesmo disse que não é sempre que se acerta.
      WB foi formada em economia e teve aula com o Grahan, um dos grandes nomes do século passado. Pode ter certeza que ele sabia e sabe muito sobre valuation, sobre finanças, teorias econômicas, etc. O que não dá é imaginar que ler um livro que se lê em duas horas como "WB e análises de balanço" e achar que estamos aptos a escolher empresas com "diferenciais competitivos duráveis" a preços razoáveis. Podemos escolher empresas com "diferenciais competitivos duráveis" e elas já estarem devidamente precificadas como a AMBEV. WB sempre disse para comprar ações de boas empresas a preços razoáveis, e nisso ele seguiu as orientações do seu outro mentor não tão conhecido (ele é conhecido, mas não como mentor do WB) Fischer, que não via problemas em pagar preços mais esticados por ações com potencial de crescimento futuro bom, e ele fala isso no livro clássico "ações comuns, lucros extraordinários" (não sei se é exatamente assim o título.
      Não é uma exortação a compre uma empresa boa por qualquer preço, compre uma ação de uma empresa boa por uma preço razoável (com toda a dificuldade semântica e financeira de saber o que é "razoável"), e é exatamente isso que o post do di marcinho tenta abordar de uma maneira simples.

      Metodologia de investimento? Estou longe de ser profissional do mercado. Nessa, estou com o Blastter, foque em gerar aportes cada vez maiores, controle os seus custos fixos e deixe o longo prazo fazer efeito.

      A discussão aqui é teórica, e como esse conhecimento pode de alguma maneira ser uma informação a mais para o pequeno investidor. Escolha "boas" empresas pelos seus filtros, é uma boa saída. Sabe um pouco de valuation? Melhor ainda, pode ser um filtro a mais para você achar empresas boas a preços razoáveis. Não é acertar fundo, pico, fazer elucubrações precisas sobre o futuro, para nós pequenos investidores é apenas proporcionar uma ferramenta a mais para podermos atingir nossos objetivos financeiros.

      obs: não entendi na outra mensagem. O fato de não ter existido prêmio acionário no Brasil desde a estabilização econômica foi um juízo de fato, não de valor. Falei apenas para acrescentar na discussão, e trazer mais dados para que todos possam crescer coletivamente. Caso queira saber mais sobre isso, sugiro ler os relatórios do credit suisse desde o ano de 2008, uma verdadeira aula. Muito mais profundos e densos do que o livro do professor Siegel que você está lendo atualmente. É um bom livro, mas é introdutório, e deixa de lado algumas variáveis para simplificar.

      No mais, grato pela discussão.

      Abraço!

      soulsurfer

      Excluir
    17. Soulsurfer, concordo com tudo que você escreveu acima.

      We have a deal!

      Excelente discussão. Abraços.

      Excluir
  18. Quanto mais informações, menores são os riscos.
    Mas que não é fácil calcular todas essas coisas, isso não é.
    Minha análise é bem mais simples do que isso.
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, mais informação os riscos são menores, é fato. Mas há um limite para isso.

      Fora os riscos não controláveis. Por isso esta questão de ser conservador.

      []s!

      Excluir
  19. muito bom o post!
    Bastter não deve ser o nome do cachorro e sim do cavalo dele! o cara é um chucro mesmo!!! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como disse acima, ele é bom pra dar um choque de realidade, mas fala umas coisas muito sem sentido.

      []s!

      Excluir
  20. Essa história de não se olhar preco é uma das maiores besteiras que eu já ouvi. Aplique isso nas nas suas finanças pessoais para ver o resultado. Precificar uma empresa é algo complicadíssimo pois envolve algo que não temos controle: o futuro. Basta ver o que aconteceu com as elétricas, em uma canetada do governo o setor virou de ponta cabeças. Gosto de comprar empresas bem administradas, com modelo de negócios que perdure ao longo do tempo e com perspectivas mínimas de crescimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você se contradiz no seu próprio comentário. Sem mais.

      Excluir
    2. Sim, a precificação é importante, mas o próprio caso das elétricas: sempre irão ter riscos. Por isso é importante também diversificar.

      []s!

      Excluir
  21. dimarcinho,
    Eu acompanhei uma parte da discussão com o Bastter. Eu acho que é lógico e que faz toda a diferença comprar barato (até o Bastter concorda com isso).
    A questão que ele prega lá é que para que compra de pouco em pouco, não faz tanta diferença assim. O não fazer tanta diferença assim significa dizer o seguinte "compensa o risco?".

    O processo de valuation é complexo como você disse e a chance de um amador como nós estarmos certos no valuation é, digamos, 60%. Porém, existem outras variáveis que não controlamos, como por exemplo questões macro-econonicas, portanto com isso nossa chance cai para, suponhamos 50% de estar certo, porém com um risco grande, pois para valer a pena, o aporte tem que ser grande e com isso você arrisca mais dinheiro.

    O que o bastter prega é uma metodologia que com compras sucessivas você vai comprar na alta E na baixa, com isso terá ao longo do tempo adquirido no preço médio da empresa e se beneficiará dos resultados, também médios, que em empresa boas tende a ser favorável.

    Os exemplos que você deu se assemelham com RF (só de usar a palavra garantia de retorno mínimo já elimina a comparação com RV).

    Eu acho que valuation é um negócio complicadissimo, além de o cara necessitar ter muito conhecimento ele precisa ter um talento enorme para saber a empresa certa e a hora certa, o que, como sabemos não acontece na maioria dos casos, de modo que o tombo pode ser grande.

    É tudo uma questão de risco retorno. Se seguir uma metodologia de B&H passivo vamos dizer que você tenha em média um retorno de 8% a.a acima da inflação em prazo de 10 anos, já se seguir uma metodologia ativa, buscando valuation, você tenha uma chance de sucesso de ganho de até 50% a.a. mas com risco de perda de 50% a.a. tb. E aí, qual dos 2 você escolheria para investir por 10 anos?
    Abraços,
    Blog Economicamente Incorreto
    http://economicamenteincorreto.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "O que o bastter prega é uma metodologia que com compras sucessivas você vai comprar na alta E na baixa, com isso terá ao longo do tempo adquirido no preço médio da empresa e se beneficiará dos resultados, também médios, que em empresa boas tende a ser favorável."

      Mas quem disse que isso será melhor que investir na Renda Fixa? Este é o ponto.

      Esses exemplos estatísticos q vc deu no final estão meio carteados....

      []s!

      Excluir
    2. mas quem disse que qualquer método será melhor que renda fixa? estamos na mesma então

      Excluir
    3. Incorreto,

      Mas o ponto todo do texto é sobre isso! Por exemplo, o Bastter fala que o preço não importa. A empresa pode continuar crescendo, dando lucros e dividendos pro acionista. Tudo bem.

      Mas a questão aqui é que se você paga muito caro por ela, talvez tivesse ganhado MAIS dinheiro na renda fixa.

      A ideia toda é essa.

      Excluir
    4. A palavra chave acima é "talvez". Concordo, mas com valuation, talvez você acerte e talvez a empresa esteja com preço abaixo do justo porque tem alguma variável que ai estourar e somente você nâo tenha percebido.

      No longuissimo prazo, é provavel que você ganhe da RF com Buy & Hold passivo. É só analisar, em periodos de 10 anos ou mais, o Ibovespa (que tem um monte de lixo), sempre ganha da RF, imagina uma carteira só com empresas lucrativas.

      O problema é que se usar um método ativo, tbmdeve ganhar, mas com risco maior sem ter a certeza que vai ganhar do passivo.

      Excluir
    5. O talvez é o seguinte: por exemplo, a precificação da Ambev indica que o mercado está esperando um crescimento de uns 20%aa nela.

      Se ela crescer 10%aa, vc vai perder dinheiro em relação a uma aplicação na renda fixa.

      Fiz um texto de 6 páginas para explicar isso, mas pelo visto pouca gente entendeu.

      Excluir
    6. EIncorreto,
      Não houve equity premium no Brasil desde a estabilização econômica nos últimos 20 anos. Isso ocorreu, apesar do boom econômico brasileiro, pois a nossa taxa de juros atingiu patamares pornográficos. Portanto, não conte que no longo prazo haja esse prêmio no brasil, tudo leva a crer que sim com a convergência da taxa de juros para patamares mais amigáveis, mas não é garantido, e não foi o que ocorreu no Brasil nos últimos 20 anos.

      Abraço

      soulsurfer

      Excluir
    7. Soulsurfer,

      ninguém parece entender do conceito do VPL. Eles ainda não entenderam que correm o risco de pagar 10 e receber 5 em relação à taxa livre de risco.

      Impressionante isso.

      Excluir
    8. o Ibovespa, que é um lixo e estou usando só para exemplo, fechou 1998 em 6800 pts, hoje, mesmo andando de lado há 4 anos está em 50000 pts. faz a conta aí e me retorna se teria sido bom ou não em 15 anos.
      Se as empresas não lucrarem/crescerem mais que os títulos do governo, ninguém mais investiria em empresas, pois seria muito melhor manter o dinheiro em RF.

      este assunto já se estendeu demais. Abraços amigos!

      Excluir
    9. Meu Deus, mas que dificuldade....

      Excluir
  22. Gostaria de parabenizar você pelo seu blog, mas entendo quando o Bastter diz que o preço não importa.
    O Bastter diz que preço não importa desde que você faça compras periódicas e segure a ação num prazo muito longo . Assim você compraria ela tanto em momentos de crise ou euforia.
    Mas na minha opinião o preço importa na hora de fazer a compra, pois não vale a pena vc comprar a ação num topo mesmo a ação mostrando bons fundamentos. Eu por exemplo acho a Cielo uma ótima empresa mas quanto ao preço talvez esteja muito elevado para entrar agora, mas corro o risco da ação continuar subindo e eu perder uma oportunidade de compra agora.
    Realmente valuation é uma arte e muito complexa, exige um baita estudo.

    Renan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De novo essa baboseira de uma ação está cara... Você afirma isso com base no que? A Cielo é uma empresa fantástica, lucros crescentes, margem e ROE absurdos, dívida equilibrada, FCL positivo, boa governança, enfim, você acha que uma empresa dessas ia custar "barato"? Não olho cotações, mas pelo o que eu vi sua cotação estava chegando nos 70 reais, e eu te pergunto, o que isso importa? Hoje ela está "cara" para você, mas se ela fizer um split e as ações valerem 20 reais agora elas estarão baratas? Entendeu como esse conceito de barato e caro é totalmente absurdo e sem sentido? MDIA3 custa 100 reais uma ação, se você investir 1k nela você vai ter 10 ações correto? Se ela fizer um split 10:1 e agora a ação custar 10 reais você vai achar que ela está barata ou em um preço justo? Você tem o MESMO capital na empresa, o que mudou foi só a quantidade de ações!!! Sócio tem que querer comprar cada vez mais caro. Mas se você quiser pode comprar ações bem baratinhas, igual muita gente fez na OGXP3 que hoje custa centavos. Você acha que ela custa centavos porquê? Porque essa empresa é um LIXO, ela não dá lucro. É simples entender isso. Então pare de uma vez com essa idiotice de que uma ação está cara. Esquece preço e cotações, foque em adquirir valor e e leia apenas os balanços.

      Excluir
    2. Onde eu falei que a Cielo é ruim e está caro ?
      O que eu quis dizer é que a Cielo é uma ótima empresa com excelentes fundamentos mas se for usar o método Valuation, ela TALVEZ esteja cara. Mas nada impede da cotação dela subir junto com os seus lucros e o investidor perder uma grande oportunidade de compra-lá porque achou ela cara.
      Mas sobre Valuation, ainda pretendo aprender esse método, primeiro porque eu gosto e segundo porque pode mostrar boas oportunidades no mercado de ações.
      Então cara, na boa. Antes de você vir querendo jogar pedras, aprenda a interpretar um texto.

      Excluir
    3. Colega, você está confundindo muitas coisas (investidor livre).
      Primeiramente, você citou a AMBEVV. A AMBEV sempre foi negociada a PL altos (o que o Blastter adora dizer), e hoje continua a ser negociada a PL altos. E? Isso apenas prova que a AMBV correspondeu as expectativas do mercado há 10 anos atrás e teve altas taxas de crescimento. O crescimento de 10 anos atrás não vai se repetir, porque senão a AMBEV teria um tamanho gigantesco em relação ao PIB brasileiro, e isso não vai ocorrer. Apenas considere crescimento do PIB de 3% aa, e AMBEV de 20% aa por 10 anos, e a conta não vai fechar.
      Portanto, a situação da AMBEV é muito diferente de 10 anos atrás.
      Em qual momento se fala que não é uma boa empresa? Uma ação é o valor presente dos fluxos de caixa futuros.
      Há quem diga que se pode precificar isso por valuation. Há quem diga que o mercado é eficiente, mas TODOS, os que entendem é claro, são unânimes que um ativo é o valor presente de um ativo é os seus fluxos futuros de caixa.

      Ao comprar ações com P/L e P/VP esticados você está comprando crescimento futuro. Se este crescimento futuro não vier, há correção no P/L e o preço cai mesmo a empresa crescendo.
      Comprar empresas boas, estar diversificado é um passo, mas não é o único.

      Entretanto, se você quer dizer que comprar regulares reduz o risco de você pagar muito caro, que não vale a pena você focar em conhecimento muito específico, pois prefere gastar o seu tempo em outras coisas, que vai focar em crescimento de aportes e geração de poupança, perfeito, é uma tática e é boa.
      Entretanto, dizer que a cotação não importa é algo sem sentido, e não tem porque ficar repetindo, pelo menos não com pessoas que entendem minimamente do que você está falando.

      Abraço.

      Soulsurfer

      Excluir
    4. Esse investidor livre não entendeu nada do que eu escrevi.

      Excluir
    5. Primeiro quero pedir desculpas se soei arrogante, não é minha intenção e nem meu objetivo.

      Anônimo:

      Com base no que você afirma que a Cielo está cara? Essa análise não existe. Me cite os motivos pelos quais você considera que "talvez" a Cielo esteja cara. E se a cotação da mesma subir para 120 reais até o fim do ano? Ainda assim você vai achar ela cara?

      Soulsurfer:

      Porque o crescimento da Ambev não vai se repetir? Você olhou na sua bola de cristal? Uma empresa sempre cresce, os gestores dela SEMPRE querem maximizar os lucros, aumentando as receitas e diminuindo as despesas. Ainda temos o mercado consumidor inteiro da África, mais a Índia e a China. E mesmo assim você afirma que é impossível que a Ambev cresça a esse ritmo? Ninguém pode afirmar isso, tanto para o bem como para a mal. A Ambev pode tanto crescer, como estagnar, como piorar. E o único modo de saber isso são olhando os balanços. O que eu quero dizer é que o sócio deve olhar os balanços. A empresa tá boa? Permaneça sócio. A empresa piorou? Saia fora o quanto antes. Cotação importa para quem faz trade. Quem pratica BH olha cotação uma vez por ano e olhe lá!

      Dimarcinho

      Ok.

      Excluir
    6. Cara, qual o seu problema? Ninguém está falando em adivinhar o futuro!

      Excluir
    7. Ninguém está tentando adivinhar, mas está tentando precificar o futuro. A diferença é muito tênue.

      Excluir
    8. Colega, a IBM na década de 70 era a mesma coisa. Preço esticadíssimo, porque o mercado estava confiante que a empresa poderia crescer 20% por 20-25 anos, o que não se mostrou possível. O resultado foi uma adequação do P-L da empresa ao longo do tempo.
      A AMBEV pode crescer. Se eu disse que ela não vai crescer, escrevi algo que realmente não posso afirmar. A probabilidade disso ocorrer é muito menor do que não ocorrer. Não foi da minha bola de cristal que infelizmente não possuo, mas apenas da lógica. Você ao menos fez a conta de crescimento da AMBEV nos próximos 10 anos e o crescimento do PIB a 3%? Se você fizer esse exercício para 15 anos então, a AMBEV engole o Brasil, haja mercado externo. Se você acredita nessa possibilidade ótimo. Eu não acho ela provável, por isso não me interesso.

      Sim, o pressuposto mínimo é comprar boas empresas, que dão lucro, boa governança, dívida sobre controle, bons produtos. Isso é o mínimo. Você apenas para no mínimo. Ótimo. Continue trabalhando, economizando dinheiro e aportando nessas empresas que você provavelmente se fizer isso por muitos anos terá bons resultados.
      Entretanto, isso não quer dizer que preço e cotação não são importantes, pois isso é uma sandice, e não há um grande investidor, ou acadêmico, pelo menos eu não conheço, que diga algo que não faz o menor sentido lógico, matemático e financeiro.

      Entretanto, cada um com suas ideias, e espero que você seja um investidor de sucesso e que atinja os seus objetivos financeiros.

      Abraço!

      soulsurfer

      Excluir
    9. O cara tá trazendo variável futura a valor presente e diz que não chuta o futuro. Qualé!

      Excluir
    10. Gente,

      esse negócio de futuro já fugiu totalmente ao foco da discussão. No fim das contas todos fazemos projeções sobre o futuro o tempo inteiro na vida.

      Quando vc compra algo parcelado sem ter dinheiro a vista é pq está contando que irá receber mais dinheiro no futuro também. Vc está projetando que continuará no seu emprego e irá receber o dinheiro.

      Esse negócio de "compra e acompanha enqto a empresa for boa" é tranquilo. Mas isso é uma análise qualitativa. Tá faltando fazer a análise quantitativa. Escrevi várias vezes no texto e aqui nos comentário e vou repetir: NÃO É PORQUE A EMPRESA VAI BEM E VOCÊ ESTÁ GANHANDO DINHEIRO NA RENDA VARIÁVEL QUE ISSO QUER DIZER QUE FOI A MELHOR OPÇÃO.

      O único que parece entender mesmo é o soulsurfer.

      Excluir
    11. dimarcinho,
      o problema é que o post não foi claro, pois fala em valuation mas não em metodologia de investimento. e os comentários tratam as 2 coisas.
      Se somente uma pessoa concorda com você e um monte de gente discorda, pode existir uma possibilidade de: ou vocês estarem errados ou haver uma falha de comunicação que prejudique o entendimento.
      Pense nisso!

      Excluir
    12. Ou uma terceira hipótese de que todos tem o ponto de vista válido, e que todos podem aprender. Desde a infância meu pai sobre diz que o conhecimento não deveria ser tratado como uma questão de ego, mas sim de evolução.

      O que você esta falando Eincorreto, se eu entendi, é Ok, valuation é interessante, mas vale a pena para o pequeno investidor perder tempo com isso, se os aportes forem regulares e pequenos?
      Essa, como dito por você, é uma outra questão. Cada um deve refletir se vale a pena se aprofundar ou não, e se isso pode gerar algum retorno mais expressivo ou não.
      Entretanto, o fato disso poder não ter grande valia ou não impactar tanto quando se fala em aportes pequenos e regulares, não retira o fato, bem esclarecido pelo post, de que comprar algo sobreavaliado, mesmo que com aportes regulares que tendem a diminuir o efeito, é uma decisão financeira não ótima (no sentido que não é a mais eficiente). Apenas isso.

      Se a pessoa gastar menos do que ganha, investir 30% do salário, em 20 anos é muito possível que essa pessoa esteja numa situação financeira muito melhor do que quando ela começou. Isso, entretanto, não quer dizer que tenha sido a estratégia mais eficiente ou mais rentável.

      Abraço!

      soulsurfer

      Excluir
    13. Economicamente Incorreto,

      você está discordando da TEORIA amplamente aceita e inclusive utilizada por Buffett.

      E aqui neste mundo de finanças o que mais temos são pessoas desinformadas. Se você nunca estudou sobre valuation, por exemplo, não deveria nem querer discutir. Vc pode dar opinião. Mas é bom se informar sobre um assunto antes de querer defender fortes ideias sobre o mesmo baseado em opiniões de terceiros sem experiência no assunto.

      Por exemplo, o Bastter não entende porra nenhuma de valuation e quer falar sobre o assunto. Ele fala q preço não importa e uma legião de zumbis aceita isso sem ao menos procurar se informar sobre o assunto tratado.

      Excluir
    14. dimarcinho, não discordei de nada, quem sou eu.

      Você que não entendeu meu ponto de vista.

      Se você é mestre em valuation e acha que pode investir como WB, vá em frente cara, milhões de pessoas tentaram ...

      Boa sorte!

      Excluir
    15. Eu não falei isso em nenhum momento.

      Excluir
    16. Marcinhi, mostre seu método e resultados. Chega de blablabla. Até agora só vi voce tomar pau e rendimento pifio com suas teorias de precificaçao. Teoria, teoria, mostre resultados praticos.

      Excluir
    17. Amigo,

      vc só viu resultado pífio? Ano de 2012 q foi ruim pras ações eu empatei com o CDI, mesmo com minha carteira possuindo alocação 100% em ações.

      Em 2013 meu resultado foi detonado pelas operações alavancadas, que em nada tem a ver com o que está sendo discutido aqui.

      Mas mesmo assim, se vc quiser realmente ver os resultados, volte com este comentário daqui a uns 7-12 anos, pois o método prevê comparação com longo prazo e não apenas 2-3 anos de aplicações.

      Excluir
    18. você se contradiz, está citando um resultado pífio em 2012 como bom, o resultado de 1 ano não significa nada, é engraçado dizer que em 2012 bateu o mercado e em 2013 se lascou justificando alavancagem. se você é bom você vai ganhar e não perder. pare de dar desculpas esfarrapadas.

      olha o comentário exdrúxulo de dezembro de 2012 "Pelo Sistema de Cotas, o acumulado ficou em +5,03%, contando apenas a partir de Maio. Utilizando as prévias dos índices, para este mesmo período (Maio-Dezembro), o CDI variou +5,05%, ou seja, virtualmente empatado com a carteira. O IGP-M ficou em +6,25% e o IPCA em +3,79%. Já o Ibovespa ficou em -1,40%."

      você nao tem vergonha de escrever isso e falar que é bom pra caralho em valuation?

      Excluir
    19. Caro anônimo,

      me desculpe, mas vc está fazendo uma mistura sem tamanho em seus comentários. Aguarde o longo prazo e voltamos a conversar, ok?

      []s!

      Excluir
    20. Cara Dimarcinho. Tu está tentando apregoar uma religião tentando emplacar um pseudo-cientificismo nas suas análises. O problema é que a sua religião ou simplifica demais a verdadeira estória subjacente a uma ação ou, então, torna-se deveras complexa a abordagem sobre a mesma. No final, todos fazemos a mesma merda, com ou sem fluxo de caixa descontado. REPAROU QUE NINGUÉM NUNCA SAI DA ESTACA ZERO NESTE TIPO DE POSTAGEM? SEMPRE A MESMA LADAINHA?

      Excluir
  23. Excelente post DiM. Pelos seus posts anteriores dá pra ver que você entende muito de valuation. Isso é uma área que me interesso demais, mas infelizmente acho que alguns métodos floreiam demais a coisa e colocam variáveis desnecessárias. Hoje em dia uso dois tipos de valuation, que na verdade dão resultados bem parecidos: Décio Bazin (Faça Fortuna com Ações) ensina a não comprar um papel se ele não der uma média de retorno de no mínimo 6% nos últimos anos (horizonte de 5, 7 ou 10, não lembro). Já no O Investidor Inteligente pg 187 Graham diz que para o Investidor Defensivo se deve usar como teto o preço de 25 vezes a média dos lucros dos últimos 7 anos.
    Gosto desses dois porque são extremamente simples e considero eficazes, peneiram bem as ações e não me deixam comprar coisas com preços exorbitantes.
    Parabéns pelo post e tomara que a galera leia, inclusive os comentários, porque tem muita gente top postando ae!
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Thales,

      existem muitos parâmetros a serem traçados.

      Eu conheço o básico do básico de Valuation. Tenho um livro do Damodaran sobre o assunto, mas ainda estou no capítulo 4 dos 18. Infelizmente me falta tempo, mas devagar vamos melhorando.

      []s!

      Excluir
    2. Esse demoradam ficou rico no mercado financeiro ou vendendo livros?

      Excluir
    3. Caro anônimo,

      eu não sei nem se o Damodaran é RICO. Provavelmente sim e com certeza por maior parte devido aos seus livros e devem rolar trabalhos de consultoria. Existe todo um mundo de capital fechado do qual não temos acesso. Mas é UNÂNIMIDADE que um ativo pode ser precificado em função das três variáveis acima.

      Mas se vc quer saber como ele se comporta frente ao mercado, apenas acompanhe o blog dele:
      http://aswathdamodaran.blogspot.com.br/2013/07/facebook-hits-ipo-price-mood-swings-in.html

      É Damodaran e não "demoradam". Aprende a copiar pelo menos.

      Excluir
    4. qual o índice de acerto dele? e o seu? Esse tal de demoradam deve ser o típico cara que fica rico vendendo sonhos enquanto os seguidores se lascam no mercado

      Excluir
    5. dei um google o o tal do demoradam é tão famoso que não aparece na primeira página

      Excluir
    6. Escreve certo que aparece, seu analfa! huahuahua!

      Excluir
    7. Po, Troll, eu ia escrever que ele precisa se esforçar mais pra achar!!! kkkkkk

      Excluir
  24. O que é muito importante para obter mais resultados nos investimentos, é estar atento aos ciclos da economia. Entrar e sair com parte de seu investimento no momento mais adequado, antes que se torne popular. Esta premissa mais alguns fatores a serem avaliados são auxiliares importantes no momento de investir. Não sei calcular valuation. Abraco . Bagual

    ResponderExcluir
  25. Amigos,
    O post foi bom e os comentários super válidos. Eu me perdi nas threads dos comentários (que são muitas) e com isso meus comentários tem se tornado repetitivos. Devido a isso resolvi fazer um post sobre este assunto colocando meu ponto de vista.

    Veja lá no meu blog:
    http://economicamenteincorreto.blogspot.com.br/2014/01/valuation-e-legal-mas-e-o-risco.html

    Abraços,
    Blog Economicamente Incorreto
    http://economicamenteincorreto.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  26. Nobilíssimo titular do blogue,

    Senhores comentaristas,

    Ciente de sua importância como membro da 5º geração de discípulos do Oráculo de Omaha e Representante-mor na Blogosfera Financeira do Grão-mestre Cachorrão Bastter, o Cavalo, El Rei Troll irá se pronunciar sobre o polêmico assunto em voga:

    Ilustre Dimarcinho,

    Antes de mais nada, seu post foi muito bem escrito. Creio que todos os que leram (exceto monobíceps) entenderam. Porém, o assunto "valuation" não é ciência exata, porquanto há um forte componente de subjetividade presente. Logo, qualquer pessoa tem o direito de discordar não só de ti, mas de qualquer autoridade no assunto, mesmo que seja ela Damodaram ou o mestre Warren Buffet.

    O valor de uma companhia é algo desconhecido. Nem mesmo os donos da empresa sabem o valor dela. O máximo que se pode fazer é estimar o valor real de uma cia. Existem muitos métodos para isso e o trazido a lume pelo estimado blogueiro é um dentre todos. São os métodos que chamamos de "valuation", que servem como importante apoio na decisão de comprar um negócio.

    Li que algumas pessoas não fazem valuation por acharem que não vale à pena.

    ERRADO! TODOS FAZEM VALUATION!

    Ainda que intuitivamente. Quando você escolhe entre investir em Tractebel ou Taesa, ou para onde direcionar seu aporte, isso é uma forma de valuation. De alguma forma, você terá que decidir qual empresa é melhor, mais lucrativa, mais barata...

    Então, todos esses métodos, indicadores e cálculos servem para retirar o componente intuitivo dessa decisão, já que a intuição humana, apesar de ser algo poético, frequentemente nos conduz a imensos fracassos.

    Dimarcinho, sei que esse seu post é uma resposta ao Bastter. Eu vi a discussão. Você foi troll no mural da Petrobrás, pois ali não é mesmo lugar para discutir essas questões. O Bastter permite que se discuta teorias, mas em grupos apropriados a isso.

    Então qual o motivo da aparente desavença?

    O Bastter foca o trabalho dele em um nicho específico de investidores. São os amadores, que possuem pouca ou nenhuma noção do mercado. E no Brasil, com a pouca tradição de investir na renda variável, essa pessoas tem grandes chances de meter os pés pelas mãos. Para elas, o Bastter apresenta um valuation simplificado, como todos estão carecas de saber:

    Lucros consistentes e crescentes
    Dívida equilibrada
    Margem e ROE altos
    Histórico de respeito aos minoritários
    Pelo menos 5 anos na bolsa. Antes ele falava que eram 10, mas isso não está mais colando.... rs
    Ainda assim, deve-se diversificar intra e inter-setores.

    Eu acho impossível discordar que esse "valuation simplificado" aumenta muito as chances de quem não trabalha com mercado financeiro e só quer passar umas poucas horas por mês (ou por ano!) cuidando de seus investimentos.

    Minha opinião pessoal é de que os grandes autores e teóricos escrevem suas teses para todos os investidores, como uma espécie de teoria geral. O Bastter, de acordo com a opinião e experiência dele, transmite esse conhecimento para o amador.

    Mas por que o Bastter acha que o amador não pode investir como Warren Buffet?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por causa do pouco capital e dos aportes periódicos que a pessoa física faz. Nesse ponto, peço licença para me posicionar de acordo com o Grão-mestre Cachorrão, o Cavalo. Warren Buffet - e sua equipe - se reúne com a diretoria e compra parte substancial de uma empresa. Ele não faz negócios do notebook de casa.

      Eu concordo e acho que faz todo o sentido que as técnicas de precificação perdem muito o significado quando alguém compra uma parte infinitesimal de uma empresa. E piora muito quando essa pessoa vai passar no mínimo 10 anos fazendo isso mensalmente. O preço médio irá se diluir, pois o investidor irá comprar na alta ou na baixa, conforme as expectativas do mercado são correspondidas ou frustradas. Vão entrar proventos na conta, novas expectativas irão surgir, novas leis, trocas de controle, entre outros fatores que irão fazer o preço justo se modificar sempre.

      Eu acho que usar técnicas complexas de valuation é para profissionais. Muitos usam e erram bastante, mesmo tendo muito mais informação que nós, amadores, que dispomos só de um notebook como ferramenta.

      Acredito que fora de crises sistêmicas, não temos informações suficientes para encontrar as tais promoções.

      Somos a base da cadeia alimentar do mercado.

      Somos os últimos a saber.

      E isso quando sabermos de alguma coisa!

      Acredito que o valuation simplificado do Bastter resolve quase tudo para amadores. Se alguém quer ser profissional, isso é algo que levará ANOS, muito estudo e investimento em formação.

      E é um investimento que deverá se pagar para valer a pena. Ou terá sido melhor investir mensalmente independente de cotação mesmo. Investir tempo, dinheiro e deixar de curtir horas de lazer para no final ter um patrimônio 3% superior é algo bom? Para mim não seria.

      Há várias simulações e vídeos do Youtube (não tenho como postar o link agora, mas é fácil encontrar) mostrando como o cotação tem pouca relevância no patrimônio final de quem investe mensalmente.

      Pode ganhar menos que a renda fixa sem estimar preço justo? Sim. Mas quem estima também pode errar e perder até mais. E a chance de dar errado é altíssima se a estimativa não for bem feita.

      E é difícil fazer bem feita, meu chapa!

      Excluir
    2. Troll, É ISSO!

      Eu não teria tido a capacidade de expressar meus pensamentos de forma tão clara.

      Abraços!

      Excluir
    3. Fala, Troll,

      eu concordo até um certo ponto com o Bastter. Mas não é pq vc é iniciante ou amador que você tem que aprender coisas ERRADAS sobre o sistema. Concorda?

      Aqui um pouco sobre o valuation em si: falei no texto e repito - ser conservador. Se eu calculo que a empresa vai crescer 7% durante 3 anos e depois mais 3% "para sempre", mas na verdade a expectativa dela é crescer 15% durante os próximos 20 anos e eu consigo pegar abaixo do preço da primeira hipótese eu vou ganhar dinheiro. E muito, pois com o prêmio de risco imbutido na taxa de desconto, isso vai se tornar praticamente um negócio da China.

      Note ainda que o método calcula a valor presente o fluxo de caixa futuro. Ou seja, ele só pode ser comparado também no longo prazo.

      O problema aqui é justamente deixar passar oportunidades. Mas é melhor deixar de ganhar do que perder.

      O Bastter falou umas coisas ridículas, como o exemplo da Natura (um cara com patrimônio de milhões fazendo aportezinho de 500 reais e ele usa isso como exemplo pra justificar? faça-me o favor).

      Sobre a questão dos aportes periódicos, isso é muito simples: se a empresa for do tipo cara, então a maior parte das vezes vc pagará caro por ela e mesmo que ao longo do tempo vc consiga pagar menos, é provável que você ainda manterá um preço acima do justo e vai receber menos do que os fluxos de caixa futuros. Ou seja, irá pagar 10 e receber 8. Conheço isso como prejuízo.

      Inclusive, dei o exemplo da LTN pra ficar bem claro isso: se você comprar uma LTN e pagar sempre mais do que ela vale, vc vai perder dinheiro. Não há discussão alguma aqui. Não interessa se vc compra de uma vez ou vai comprando sempre. Uma empresa cara tende a ficar cara a maior parte do tempo, enquanto uma barata tende a ficar barata durante muito tempo também.

      []s!

      Excluir
    4. Ah! Só um detalhe do exemplo:

      Note que se quando na pedra a expectativa era crescimento de 15%, mas eu consegui comprar numa queda esperando apenas 7%, eu irei ganhar dinheiro mesmo que a empresa cresça menos, em torno de 10%, por exemplo.

      No entanto o preço da médio da pedra refletia crescimento de 15%. Estes caras que ficaram com esse preço médio irão tomar prejuízo frente à taxa livre de risco. Ou seja, aquele cara que fez compras periódicas, ficou com o preço médio da pedra e tomou ferro.

      []s!

      Excluir
    5. marcinho, então é você que não entendeu. Pare de tratar RV como renda fixa e já será um bom começo. Você mistura exemplos de RV com RF. Você estabeleceu uma expectativa para os próximos 5 anos, pois bem, e se em 2-3 anos o cenário mudou e você precificou novamente e viu que tomou pau? você perdeu feio para a RF livre de risco, e aí? você também tem limitações sobre aceitar que nem todas as teorias estão certas e nem erradas. existe meio termo. você só dá exemplos supondo que com precificação você vai acertar sempre e que os outros vao perder sempre. você é o escolhido e só vai acertar.

      Excluir
    6. Sendo conservador na análise, se o o cenário mudar, ainda há possibilidade de continuar no lucrando.

      No entanto, pra quem pagou caro é um abraço.

      Excluir
    7. Nobre Dimarcinho, isso é discussão que não acaba nunca.

      "eu concordo até um certo ponto com o Bastter. Mas não é pq vc é iniciante ou amador que você tem que aprender coisas ERRADAS sobre o sistema. Concorda?"

      Putz, se esse comentário fosse anônimo eu diria que foi do Jeninho Mizifio! kkkkk!

      Eu não entendi muito bem o lance de empresa do tipo cara. Prejuízo para mim comprar caro e vender barato. Se alguém compra caro e vende caro, não vejo prejuízo algum.

      Agora, se o objetivo é comparar RV com a RF, o buraco em bem mais embaixo. Em uma carteira diversificada, sempre haverá ativos que performaram muito bem, outros nem tanto e outros muito mal. Aí é assunto para muitos e muitos posts.

      Mas me responda: mesmo se apoiando em premissas que você julga erradas, você acha que alguém faça o B&H Bastter sem olhar cotação a "la garantia soy yo", mas seguindo todas aqueles critérios que citei, que são bem conservadores, as pessoas irão perder dinheiro?

      Excluir
    8. Ah, e o exemplo do Bastter com a Natura foi ruim mesmo. Acredito que isso o influenciou a encerrar a discussão na marra.

      Excluir
    9. Os critérios do Blastter não são conservadores. Por que seriam? Eles são lógicos, e ditos diversas vezes por muitas pessoas há muitos anos.
      Se você vai comprar uma padaria, vai ver se ela dá lucros, se não tem nenhum esqueleto jurídico no armário, se a margem é razoável para o mercado, se a dívida está sob controle, etc.
      Logo, a mesma coisa deve ser feita com empresas, sendo que é muito mais difícil fazer isso com negócios de bilhões, mas é o que sobra para a gente.
      Você achou a padaria perfeita pelos filtros, mas o preço pedido é alto. Ora, se você comprar a padaria está comprando um bom negócio, mas pagando caro, isso não quer dizer que você vai perder dinheiro nominalmente falando, mas não será a melhor decisão financeira.
      O mesmo raciocínio se aplica as ações. E não há diferença alguma se os aportes forem pequenos e regulares (que nada mais é do que a técnica de dollar cost average e é usada de maneira mais ou menos no método do TSDB - entretanto a ferramenta em si é interessante), você apenas dilui o risco de comprar em topos, apenas isso.
      Realmente não vejo porque tanta hesitação na aceitação de algo simples.
      Então, soulsurfer, você é um mestre da valuation? Vai bater o mercado com retornos espetaculares? Não, não é nada disso.
      Eu não sei se tenho talento para finanças, tento estudar para não fazer muitas cagadas. Mas, não é porque eu não tenho talento e/ou conhecimento muito aprofundado, eu não vou reconhecer uma conclusão que é matemática e lógica.

      Abraço!

      soulsurfer

      Excluir
    10. Eu concordo 100% com a ideia de que se o investidor escolher empresas boas para investir, já está no caminho vencedor da bolsa. Procuro transmitir em meu blog a simplicidade, tanto nas palavras utilizadas quanto nas ações. Mas isso não quer dizer que estou certo e que os outros estão errados. Não vou ficar acusando que tal modo de pensar é "da manada" só porque eu não concordo ou vai de encontro o que penso. Certas coisas são flagrantes sim, como operar micos ou ficar na esperança de uma empresa ruim se torne boa que eu discordo. Mas não vou ficar atacando coisas como "valuation", "calcular rentabilidade" ou "analisar turnaround" como coisa de manada. Senão vai chegar uma hora que tudo é manada e só eu estou certo. Você você acha que só há uma forma de operar na bolsa e que só a sua faz sentido para todos os tipos de pequenos investidores, e tudo o que é minimamente diferente você utiliza o argumento de que é coisa de manada, alguma coisa está errada. Ao invés de disseminar filosofias simples, vai tornar uma série de investidores potencialmente críticos em meros zumbis repetidores de coisas sem a mínima capacidade de reflexão.
      Nada contra o Bastter. Concordo com quase tudo o que ele diz. Ele faz um belíssimo trabalho em seu site e ajuda muitas pessoas a sair do caminho da jogatina da bolsa. Mas isso não quer dizer que eu tenho que colocar meu senso crítico de lado e fazer uma vista grossa forçada.
      Abraços

      Excluir
    11. Dois comentários perfeitos, AdP e soulsurfer.

      Excluir
    12. Troll,

      sobre a sua pergunta, aqui já estamos evoluídos no tocante a finanças e creio que ninguém mais faz contas sem levar em consideração no mínimo a inflação, não é mesmo? Então se vc perde pra inflação, mesmo que nominalmente falando vc esteja no lucro, na realidade vc está no prejuízo.

      É simples assim.

      Excluir
    13. Alguém falou do TSDB. Muito bom, chegamos onde eu queria.

      No final das contas, o TSDB faz o valuation por você! se uma ação disparar ele não vai deixar você comprar muito dela, mas vai mandar comprar das que mais caíram (ou subiram menos / ficaram pra trás).

      Como em teoria todas as empresas da carteira são boas, você está comprando mais valor sempre. Alguém discorda?

      Excluir
    14. Ações, em geral, possuem correlação positiva.....

      Se todas subirem, mas a que está cara não subir tanto (até mais provável, por sinal), qual q vc irá comprar mais?

      :-)

      Excluir
    15. "No final das contas, o TSDB faz o valuation por você! se uma ação disparar ele não vai deixar você comprar muito dela, mas vai mandar comprar das que mais caíram (ou subiram menos / ficaram pra trás)."

      Basicamente é o que faço, olhando meu excel... ;^)

      Outra dica importante: compre no fracionário se isso fizer sentido em termo de cotação. Ex. comprei CIEL3 @ 65,00 há 3 dias. No lote padrão tava 67,35... A empresa é a mesminha que voce pode fazer seu valuation, mas acredito que estou na frente de quem comprou a 67,35. Estou errado?

      Abraço,
      Victor

      Excluir
    16. E claro, esqueci de dizer: em termos de corretagem também.

      []s

      Excluir
    17. correlação positiva de uma carteira inteira? esse cara ficou louco! de onde você tirou que é mais provável que a mais cara vai subir menos? no curto prazo não existe lógica.

      se todas estiverem no mesmo percentual, exatamente, vou escolher uma e comprar, sendo 1 (um) (único) aporte num horizonte de 15 anos isso não faz nenhuma diferença. se pudesse compraria todas, mas os custos de corretagem não compensariam

      Excluir
    18. EI,

      todas são ações e, assim, por natureza, possuem uma certa correlação positiva. Quando há um crash, TODOS (ou 99%, ok) os papéis desabam. Uns mais outros, outros menos, mas TODOS vão junto. Você quer dizer que não há correlação?

      Mas me responda, se todas subirem, menos a cara, qual vc irá comprar segundo o TSDB? rs

      De qualquer maneira, eu não estou discutindo aqui as estratégias. Até porque, se eu calculo preço justo de um papel a R$ 10 e ele está a R$ 20, ele não deveria nem estar na minha carteira.

      Excluir
    19. V. Sierra,

      sim você tem razão, pode haver distorções entre o fracionário e o a vista. O problema é para você se aproveitar desta vantagem você teria que SEMPRE comprar com este spread no fracionário para formar um lote e aí sim conseguir vender no a vista.

      Mas na prática pouco importa. Em termos de curto prazo, de nada adianta você comprar por R$ 65 no fracionário e daqui a um ano, no a vista está R$ 30, rsrsrsrsrs

      Isso já é um outro assunto, que pouco tem a ver com o que quis colocar no texto.

      []s!

      Excluir
    20. dimarcinho, não, não vão cair todas da mesma forma e nem subir, NUNCA. Existem inclusive as que tem correlação inversa (uma sobe e a outra desce), por exemplo baseado em fatores macro econômicos, variação cambial, júros. Seus estudos estão muito falhos neste item. Se não entende isso não tente discutir.

      Se todas subirem, menos a cara, e o método mandar comprar a cara, é ela que vou comprar. Você não entendeu o método e acha que tem que discutir.

      Vou dar um exemplo prático, a Cielo está na minha carteira com uma alocação pequena, e só sobe. Está cara? não sei, mas quando o método mandou comprar eu comprei. E fiquei triste que deveria ter comprado mais.

      Excluir
    21. Este é o método que eu uso. Não estou dizendo que é melhor que o seu. Mas estou dizendo que é o melhor MEU método, pois é o que está funcionando para mim. Se você ficar rico e eu pobre, paciência, vou continuar trabalhando. Meus investimentos em bolsa não são para ficar milionário, mas para ter uma independência financeira segura. EU acho isso bom, você não, o meu problema é meu e o seu é seu.

      Excluir
    22. Bom, já escrevi lá no seu blog e pra mim encerro por aqui.

      []s!

      Excluir
    23. "Nada contra o Bastter. Concordo com quase tudo o que ele diz. Ele faz um belíssimo trabalho em seu site e ajuda muitas pessoas a sair do caminho da jogatina da bolsa. Mas isso não quer dizer que eu tenho que colocar meu senso crítico de lado e fazer uma vista grossa forçada."

      ADP disse tudo aqui. Exceto pelo lado matemático incontestável, não iremos chegar a um acordo nunca por causa da grande subjetividade que esse assunto envolve. E não temos que concordar mesmo. Nem com o Bastter, nem com ninguém. Nem vou comentar sobre os perigos de seguir cegamente qualquer pessoa. E se você analisar as carteiras da Blogosfera, não tem ninguém que segue TUDO o que o Bastter fala, felizmente.

      Ok, ele pode ter chutado o pau da barraca em alguns conceitos, mas EU acredito que isso tem o efeito positivo de eliminar muitos outros conceitos errados entranhados na cabeça amadores, o que ele chama de bullshits.

      Vou encerrar por aqui também e agradeço o post e o espaço para o debate.

      Obs: Dimarcinho e EI, parem de se bicar vocês duas! hahahaha!

      Excluir
    24. "No final das contas, o TSDB faz o valuation por você! se uma ação disparar ele não vai deixar você comprar muito dela, mas vai mandar comprar das que mais caíram (ou subiram menos / ficaram pra trás).
      Como em teoria todas as empresas da carteira são boas, você está comprando mais valor sempre. Alguém discorda?"

      Como você disse, na teoria isso somente funciona se todas as empresas forem boas e permanecerem boas ao longo do tempo. Pode acontecer (improvável alguém montar uma carteira 100% formada por empresas boas que continuarão boas) de uma ou mais empresas boas se tornarem razoáveis, o que faria sua cotação ficar de lado. Logo, pelo TSDB, que no fundo é uma alocação de ativos, indicará o investidor para aportar nas empresas razoáveis, pois as empresas boas subiram e as razoáveis ficaram de lado. Pior seria se uma empresa boa se tornar ruim, mas o investidor ainda não perceber isso (afinal de contas, este conceito de empresa boa e ruim é subjetivo). Mas se ele se manter fiel a alocação de ativos, ele vai ficar aportando na empresa ruim, até o dia em que se der conta. Por isso, não considero a alocação de ativos como valuation, pois neste caso você aportaria em empresas que tem maiores chances de dar menores retornos do que as que boas que subiram. A alocação de ativos somente considera o aspecto quantitativo, e não qualitativo. Logo, entre uma empresa boa que subiu e os fundamentos melhoraram e uma empresa mais ou menos que caiu, a alocação de ativos vai mandar você aportar na empresa mais ou menos.
      Um exemplo hipotético para ilustrar seria uma carteira com Ambev e Usiminas nos anos 2007. Se o investidor seguir a alocação a risca, considerando 50%/50%, ele aportaria muito mais em Usiminas (na época considerada boa) do que na Ambev.
      Abraços

      Excluir
    25. até tú ADP? este exemplo foi meio mandrake. 50-50?

      Excluir
    26. Qual seria o problema de uma carteira de 2 mil reais estar distribuída em duas ações, sendo 1000 em cada ação?

      Excluir
    27. Você pulou o capitulo "diversificação"

      Excluir
  27. Belo comentário, Troll.
    Abraços!

    Soulsurfer

    ResponderExcluir
  28. Olha, eu fico vendo os comentários aqui e não consigo me segurar (tirando os trolladores anônimos que desconsiderei). Tenho que escrever alguma coisa ....

    Qual a dificuldade de entender que todos estão certos em seu ponto de vista?

    Uma coisa é o médoto de investimento, leia-se Buy & Hold, Trade, Swing Trade, ativo, passivo ou qualquer porra de método que qualquer um tenha inventado (veja o método do Greenblatt e entenderá o que estou falando).

    Outra coisa é: qual a melhor forma de escolher a empresa certa? Uns dizem que é escolhendo empresas boas sem se importar com preço desde que compre periodicamente. Outros dizem que é escolhendo as empresas por valuation, outra é com análise gráfica/técnica, outra, pra citar novamente o Greenblatt, é escolhendo através de uma fórmula mágica, etc. Leia os axiomas de zurich que fala que nada disso serve ... são pontos de vista diferentes.

    Enfim, no final das contas, cada um espera aumentar a probabilidade de acertar. Isso significa colocar as probabilidades a seu favor! Eu acho que uns tem mais chances de acertar que os outros, com maior ou menor risco, mas a mente estudada muitas vezes limita o pensamento a "somente minha visão está certa".

    Investimento em bolsa é uma questão de probabilidade de acerto do futuro e existem vários métodos de colocar (ou não) as probabilidades a seu favor.

    Sejam felizes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. EI,

      o cerne do post é: custo de oportunidade.

      Mas muita gente não está entendendo isso...

      Quando você possui uma teoria, tem que traçar uma estratégia que se adeque a mesma. Já falei sobre isso por aqui. Por exemplo, disponibilizar ações para aluguel é uma estratégia de alta.

      Se você compra algo que no longo prazo dará um retorno menor do que o atual, o que realmente deveria ser feito seria vender a descoberto e aplicar a diferença na renda fixa no mesmo prazo. Claro que ainda há o custo de carregamento, mas se for pífio (como é o da Petrobras, por exemplo), seria possível ganhar dinheiro no LP desta maneira. Seria uma estratégia coerente com a sua aposta.

      Inclusive, a precificação existe justamente para que não haja possibilidades de arbitragem no mercado financeiro. Por vezes elas surgem, mas rapidamente somem.

      []s!

      Excluir
    2. EI, gostei desta parte:

      "Investimento em bolsa é uma questão de probabilidade de acerto do futuro e existem vários métodos de colocar (ou não) as probabilidades a seu favor."

      Excluir
  29. Baseado nesses critérios, existe alguma empresa que o valuation indica compra, Dimarcinho?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Creio não ter sido essa a intenção do post. Indicações baseadas em valuation há aos montes nas corretoras. Mas vamos aguardar a resposta do Dimarcinho.

      Excluir
    2. Eu sei que não. Mas seria legal que ele disponibilizasse algo com base no valuation pregado pelo Damodaran.

      Excluir
    3. Segundo meus critérios e minhas análises, todas da minha carteira.

      Excluir
  30. Escrevi lá no blog do EI, não sei se você voltou para ler:

    "Vou fazer uma sugestão e acho que é boa. Você fez a carteira de micos que em pouco mais de um ano (você parou de atualizar em nov/13) estava com -50% de rentabilidade. Achei ótima sua iniciativa.

    Que tal fazer uma carteira teórica valuation? Poderíamos comparar o desempenho dela com a carteira teórica do Estagiário, que foi toda montada a la Bastter. O que acha?"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho uma boa ideia, mas vai dar um trabalho monstro!!!!! rsrsrsrsrs

      Excluir
  31. Legal, vou estudar mais sobre isso.
    Ainda estou escolhendo minhas empresas!

    Valeu!

    ResponderExcluir
  32. o dimamá precificando a OGX em março12

    "Num cenário mais otimista, mais ainda longe da realidade, vemos que as ações poderiam atingir até R$ 49,64, com bom upside em relação ao valor de hoje, mas, como dito, longe da realidade.
    E em um cenário com ALGUMA realidade (vejam que estou projetando a produção pra beeeeeeeeeeeem acima do que seria esperado devido ao histórico das outras empresas...), no melhor cenário teríamos uma preço justo de R$ 33,67, enquanto que no pessimista R$ 17,45, mais ou menos a cotação de hoje (meados de fevereiro/2012) e na média de R$ 23,32. Um baixo upside pelo estado da empresa hoje, que é pré-operacional."

    http://di-finance.blogspot.com.br/2012/03/ogx-ouro-negro-ou-ouro-dos-tolos.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi uma análise simplista, isto está escrito lá.

      Mas, veja bem, isso era CONTANDO que a empresa iria ser bem administrada. No texto também contem a seguinte passagem, caso não tenha notado:
      "Vamos supor que a OGX será super bem administrada (!?) e conseguirá uma margem líquida de 55% sobre a receita bruta."

      Mas isso não é o foco desta discussão.


      Excluir
    2. o foco não é valuation? Qual a diferença de contar que OGX será bem administrada e a Ambev? não está apenas tentando prever o futuro nos 2 casos?

      Excluir
    3. valuation é feito com base em premissas

      Excluir
    4. Novamente o papo do futuro? É claro que esperamos que uma empresa que seja bem administrada hj continue sendo bem administrada. E as que são péssimamente administradas tendem a continuar. Isso é fato observado e, obviamente, não é nenhuma garantia.

      A precificação visa trazer um norte em relação ao preço. A OGX por exemplo, sempre questionei, pois as questões eram complexas e o tio Eike estava claramente metendo os pés pelas mãos. Sempre defendi essa posição. Ou seja, o lado QUALITATIVO dela estava ruim.

      O exemplo da padaria que deram ali é bom. Vai pagar qualquer preço por ela?

      ps - Pra quem não sabe, a Ambev trata os funcionários quase como escravos, os chefes gritam, tu fica tenso o tempo inteiro, etc, enfim, um paraíso para se trabalhar, rsrsrsrsrsrsrs

      Excluir
  33. Marcio,

    Você acha uma empresa com dados fantásticos, faz o seu valuation, chega ao suposto preço justo. Se a cotação dela, estiver acima do PJ, mesmo a empresa sendo maravilhosa, você não a compra? Muita gente deixou de comprar ABEV3 por isso e a cotação da mesma só subiu! Se você ficar esperando as ações chegarem a um preço justo você não vai acumular patrimônio nunca. O que é bom custa caro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que custa caro é errar no valuation. Para cima ou para baixo.

      Excluir
    2. Com o passar do tempo além da cotação, o preço justo varia também. Ele pode variar a cada trimestre, com resultados, só quem tem a mente fechada acha que a bolsa tem lógica.
      No ano passado o preço justo de OGX estava em 8,00 e os que acreditavam nisso continuaram comprando até verem que o preço justo mudou para 2,00, entao compraram mais.

      Excluir
    3. "Muita gente deixou de comprar ABEV3 por isso(...)"

      De onde vc tirou essa informação? Quais dados provam isso? Quantas foram as pessoas que realizaram o valuation?

      Você está olhando apenas para o lado do gráfico que já passou. Você quer outro exemplo? OGX.

      SEEEEE as expectativas fossem cumpridas, ela poderia valer uns R$ 20 fácil, fácil. Mas como não foram, deu nisso.

      SEEEEE a Ambev não atender às expectativas que o mercado possui hoje (e são altas, diga-se de passagem), o resultado não irá agradar, pode ter certeza....

      E é óbvio que o preço justo muda com o tempo. Apenas pela simples correção do valor do dinheiro no tempo já há correção.

      Excluir
    4. "SEEEEE a Ambev não atender às expectativas que o mercado possui hoje (e são altas, diga-se de passagem), o resultado não irá agradar, pode ter certeza...."

      na parte "são altas, diga-se de passagem" você quis dizer o que?

      ou você tem inside information ou bola de cristal! se fossem altas MESMO o mercado já teria precificado

      Excluir
    5. Basicamente: alto P/L = alta expectativa.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...