Web Analytics

sábado, 16 de março de 2013

Elisão Fiscal com ações


E ae, galera, tudo certo? [pingback] Consegui escrever um título menor! rs
É o seguinte, há um tempo o Investidor Troll comentou uma “manobra” para diminuir o imposto de renda pago na hora de vender as ações, através do aumento de preço médio.
O imposto de renda é devido apenas em caso de lucro. E isso é feito sobre o preço médio de compra.
No entanto, a receita federal isenta vendas de até 20mil no mês. Daí surge a seguinte ideia:
1) Compra do ativo por X
2) Algum tempo depois, venda de 20mil do ativo por X+Y
3) Recompra do ativo por X+Y.
O que ocorre com esta “manobra”? Você acaba aumentando o seu preço médio, mas o capital não muda. Exemplo:
Compra 10.000 papéis a 20,00. Papel valoriza até 30,00.
Se for feita a manobra em, por exemplo com o ativo em 25,00, venderia 20.000/25 = 800 papéis. E recompraria os 800 papéis por 20.000. Ou seja, nada mudou. Nada não: o preço médio agora é diferente. Veja:
PM = [(10.000 – 800)*20 + 800*25]/10.000 = 20,40.
Como você faz isso, é FATO de que você pagará menos imposto. Inclusive, é possível provar matematicamente. Clique aqui para ver a prova matemática.
No entanto, existe outra maneira de se desfazer do capital sem gastar 1 único centavo pagando imposto de renda: vendas parceladas.
Por este método, você todo mês vende 20mil, até acabar seu capital e, assim sendo, você não irá pagar imposto nenhum. Qual o risco aqui? A óbvia volatilidade do ativo!
Em resumo, são então 3 situações:
1) Vender todo o capital e pagar o imposto devido;
2) Vender e comprar 20k em meses onde o ativo está com preço acima do preço médio, para depois vender tudo de uma vez, o que, por sua vez, paga sempre menos imposto do que em (1);
3) Vender todo mês 20k, não pagando imposto, mas ficando muito mais exposto à volatilidade do mercado.
E então, qual estratégia é melhor?
Fiz várias simulações utilizando esta tabela. Poderia ter feito algo melhor, traçando números e estatísticas, mas quem sabe mais pra frente. Para a simulação utilizei que a ação seguiria um caminho aleatório, variando de -5%am a +5%am de um período para o outro. Considerei um período de 36 meses, onde seria feita a venda ou então iria começar a venda parcelada. Não foram considerados os custos de transação. Além disso, considerei que o preço de “recompra” seria o mesmo do preço de venda, pois facilita muito os cálculos.
Enfim, com isso, algumas conclusões podem ser tiradas:
- Como mostrado matematicamente, utilizar a manobra sempre realmente paga menos imposto do que não a realizando, considerando venda de todo o ativo de uma vez;
- A venda parcelada só tende a ganhar da Elisão Fiscal se a partir do 36º mês o ativo entra em tendência de alta. Quando a tendência é de baixa, teria sido mais interessante realizar a manobra e ter vendido tudo. Isto é um pouco óbvio.
- Em alguns casos, quando a tendência a partir do 36º mês é de baixa, mesmo sem ter realizado a manobra teria sido mais interessante vender o ativo todo e ter pagado o imposto “integral”.
Concluindo: assim como em qualquer coisa na Renda Variável, nada é garantido. Entre realizar a manobra e vender parcelado, vai depender exclusivamente do caminho da ação no futuro, do qual não podemos saber!
Se a expectativa é de alta, então vender parcelado é melhor. Se a expectativa é de baixa, então vender tudo de uma vez é melhor.
No entanto, é inegável que realizar a manobra paga-se menos imposto do que se não o fizesse, considerando que será vendido tudo de uma vez.
Abraços a todos!

31 comentários:

  1. di Marcinho sempre com excelentes informações! Não conhecia essa manobra, quando eu chegar nos 20k de venda de algum ativo usarei-a! Abraços!
    despejandoinformacoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Thales,

      note que que existem dois lados da moeda e fiz considerações difíceis de se aplicar ao mundo real, principalmente a da recomprar no mesmo preço.

      Tb cabe avaliar os custos de transação.

      []s!

      Excluir
  2. mizifio em 3..2..1..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele nao vem aqui pq nao é liberado comentario de anonimo.
      O q no caso, é ate contraditorio tendo em vista que o Marcio tem q ir atras dele nos outros blogs.
      Na verdade, eles se amam!

      Excluir
    2. Ele vai reclamar em algum outro blog q não seja moderado, kkkkk

      Excluir
  3. Fantástico! Não tinha pensado nisso ainda.Para quem investe no longo prazo, como no meu caso, é muito bom. Sempre que chegar no final do mÊs e perceber que não atingi os R$ 20k ao longo do mÊs, vou vender a ação que estiver mais valorizada e recomprar no dia seguinte. Valeu. Obs: acho que se vender e recomprar no mesmo dia fica caracterizado daytrade

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato! Tem que vender num dia e recomprar no outro!

      Excluir
    2. E vale o dia da liquidação da operação, não o dia da realização, ou seja, se o cara vender menos de 20K no dia 28 de março conta como uma operação feita em abril, no dia 1.º.

      Excluir
    3. Senso Cri-critico, vale a data do pregão (para efeito de isenção dos R$ 20 mil). Já para pagamento do IR, daí sim, vale a data de liquidação.
      Fonte (pergunta 691): http://www.receita.fazenda.gov.br/PessoaFisica/IRPF/2013/perguntao/assuntos/aplicacoes-financeiras-renda-fixa-e-renda-variavel.htm

      Excluir
    4. Acho q só comentei a parte do day-trade na prova matemática, mas é isso mesmo.

      []s!

      Excluir
  4. Excelente post Dimarcinho! Pena que o Mizifio não vai entender!

    ResponderExcluir
  5. Pelo seu estudo, me parece ser válido praticar tal elisão desde o começo dos investimentos, de forma que se possa sacar estes valores de forma imediata quando necessário.

    E se possível vender tudo abaixo do preço médio elidido, melhor. 0 de IR hehe, abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Longe do Limite,

      há que avaliar os custos e consideração de recompra em preços diferentes da venda intermediária, mas em geral é vc pagará menos mesmo.

      []s!

      Excluir
  6. E se vendo por R$20,00 hoje e amanha quando vou comprar na abertura do mercado está em R$22,00???

    Já ouvi sobre essa estratégia mas fiquei pensativo quanto a esse problema.

    Abraços!
    Ganhando Muito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pode acontecer o contrário também . Creio que isto não seja o problema. Apesar de que operar na abertura é pior que no fechamento, devido a menor liquidez que costuma ocorrer.

      Excluir
    2. Ganhando muito,

      este um dos riscos da operação; mas veja q no seu exemplo o papel subiu 10% de um dia para o outro, algo bem incomum com blue chips...

      Mas mesmo assim pode valer à pena...

      []s!

      []s!

      Excluir
    3. Pelo que entendi, se faz a venda assim que o movimento de alta no papel perde força e ele começa a perder valor. E ai aguarda um repique do papel, ou um valor pré-estabelecido, para recomprar.

      Vamos usar o exemplo recente da VALE5:

      - um investidor tinha 2000 ações da empresa com um preço médio de R$30,00;

      - em 2 de janeiro, estas ações valiam R$42,00, mas fatores negativos fizeram a cotação do papel cair e, como garantia de parte do seu lucro, este investidor vendeu 5 lotes a R$39,00 (lucro 30%) no final daquele mês;

      - o mês de fevereiro foi pouco favorável ao papel, fazendo com que o ativo continuasse a perder valor. Assim, nosso investidor resolveu arriscar e colocar outra ordem de venda de 500 papéis VALE5 a R$39,00;

      - final do mês sua ordem de comprade 1000 ações a R$34,00 é comercializada. Vamos aos números:


      PM = [(2.000 – 1000)*30 + 1000*34]/2.000 = R$32,00.

      Valor venda: R$19.500,00 + R$19.500,00 = R$39.000,00
      Valor compra: R$34.000,00
      Resultado: lucro de R$5.000,00, R$0,00 de IR e manutenção das 2000 ações VALE5.

      Excluir
    4. Longe do Limite,

      vc tem q comprar em um dia e tentar recomprar pelo mesmo preço no dia seguinte.

      O ideal seria fazer na mesma hora, mas ai configuraria day-trade e não funcionaria a manobra.

      O seu exemplo está para trade...

      []s!

      Excluir
    5. São duas as regras desta elisão, pelo que entendi:

      - recomprar num valor superior à média anterior;

      - recomprar em dia diferente da venda, para não configurar day-trade.

      O que quis com o exemplo foi mostrar ao Ganhando Muito que existem formas de se minimizar o risco ao recomprar o ativo por um valor maior que o vendido anteriormente. Abraço!

      Excluir
    6. corrijam minha ignorãncia, se eu fosse inteligente já seria rico: se comprar 10% mais caro o lote vendido não é melhor ainda? Pois aí o preço médio vai láaaa em cima e no caso de alienação futura o valor a ser cobrado de IR seria sobre esse novo preço medio, não?

      Abraço,
      V.

      Excluir
    7. Mas aí vc vai comprar menos ações. Eu fiz justamente a consideração da recompra ser do mesmo valor para facilitar as contas. Veja um exemplo:

      Compra 10.000 papéis a 10,00

      Quando chega em 20,00, faz a manobra no dia e vende 1.000 papéis por este preço. No dia seguinte o papel dispara e vai a 22. Agora, com R$ 20.000 (da venda do dia anterior) , só é possível comprar 909 papéis (sobrando R$ 2,00 simbólicos em caixa).

      Assim a posição final é em ações é de 10.000 - 1000 + 909 = 9909 papéis. Como estão cotados a 22,00, então seu capital é de R$ 217.998,00.

      Mas se não tivesse feito nada, teria 10.000 papéis a 22,00, ou seja, um capital de R$ 220.000,00. Fazer a manobra fez perder R$ 2.000,00.

      Mas em termos de imposto:
      Sem manobra: pagaria 18.000
      Com manobra: pagaria 16.200

      Uma diferença de 1.800. Descontando dos 2000, a manobra fez perder 200 devido a disparada do ativo no dia seguinte.

      Isto ocorre, pois é como se fosse um trade, visto q vc está comprando e vendendo em preços diferentes. E se vc vende por menos q na compra, isto significa um prejuízo.

      No entanto, o contrário tb é verdade; se conseguir recomprar por um preço menor do que da venda, configuraria um trade de lucro e q ainda assim faria o preço médio aumentar, sendo neste caso o melhor do mundos! Isto quer dizer que uma pequena queda no dia seguinte seria muito bem vinda! hehehe

      []s!

      Excluir
  7. Fazer rolo pra não pagar imposto? Isso só vai acabar em você perdendo mais dinheiro ainda.

    Veja esse video: https://www.youtube.com/watch?v=7G0dCX1S8nI

    ResponderExcluir
  8. Pois é amigo Dimarcinho, estou posicionado em OGX a R$ 2,51 com alvo no fechamento do gap em R$ 2,80. Estratégia bem porca, mas vamos ver como me saio... kkkk!

    Hoje tem como subir o stop e pra ficar no 0x0.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahhaa, não aguentou?? rsrsrs

      Mas e o stop loss, onde está??

      Excluir
    2. Um pouco abaixo da mínima histórica, em R$ 2,31. Se eu tivesse mais bagos, poderia colocar o alvo em R$ 3,10, o que deixaria a relação risco-retorno um pouco mais interessante.

      Excluir
    3. Stop Loss movido para o break-even. Mais R$ 0,15 e realizo meu primeiro trade com lucro. E contra a tendência! hehehehe!

      Excluir
    4. OGX é mto volátil, com uma boa gestão de risco é possível ganhar uma graninha.

      O problema são os mega-gaps que rolam de vez em qdo...

      Excluir
    5. Falando em volatilidade, não deu outra. No mesmo pregão, ela foi de +3,5% a -5%. Como subi o stop para o BE, não perdi money. Nem teria como perder, já que estou operando pequeno para aprendizado.

      Mas o Mizifio quase teve um orgasmo! Imagina como devia operar um cara que acha ruim ser stopado no 0x0 numa operação contra a tendência de um ativo com mais de 80% de VOl! Por isso quebrou! huahuahua!

      Excluir
    6. Eu vi lá! Agora deu de contar histórias mentirosas tb! rs

      Mas com volatilidades mto altas, os stops precisam ser maiores também, senão é "violinada" toda hora.

      No meu passado de trades, eu gostava de ir subindo o stop pra mínima do dia/semana anterior.

      []s!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...