Web Analytics

terça-feira, 13 de maio de 2014

[Rapidinha] O que é VALOR ?

Muita discussão ultimamente na Blogosfera sobre valor, trades, buy & hold. Enfim, tá uma mistura do caramba.

Dentro do Mercado Financeiro o que é VALOR?

Valor seria o verdadeiro preço de um ativo. Fácil de calcular para títulos de renda fixa. Difícil para renda variável. Quando se trata de ações, também é muito utilizado o termo preço justo.

Valor = Preço Justo

Deixo aqui uma passagem da introdução de um ótimo livro sobre o assunto. Por favor, leia com calma e se possível releia algumas vezes. Neste simples parágrafo você verá como estão sendo difundidos conceitos totalmente equivocados por aí. Leia com calma!


"O princípio fundamental de um investimento sólido é que o investidor não pague por um ativo mais do que ele vale. Essa premissa parece lógica e óbvia, mas é eventualmente esquecida e redescoberta a cada geração e em todo o mercado. Os cínicos argumentarão que o valor está nos olhos de quem vê, e que qualquer preço pode ser justificado se houver outros investidores dispostos a pagá-lo. Isso é evidentemente um absurdo. Quando se trata de uma pintura ou escultura, percepções podem ser cruciais, mas não compramos nem devemos comprar a maioria dos ativos por razões estéticas ou emocionais; nós os compramos em função dos fluxos de caixa que esperamos receber em troca. Assim, o valor percebido deve ser sustentado pela realidade, o que implica que o preço a pagar por qualquer ativo reflita os fluxos de caixa a serem gerados. Os modelos de avaliação descritos neste livro tentam correlacionar o valor ao nível, à incerteza e à expectativa de aumento nesses fluxos de caixa"
Damodaran, Aswath; Avaliação de Empresas, 2a edição, Capítulo 1, página 1

Os grifos são meus.

Como exemplo, lembro a crise das tulipas. Qual o VALOR de uma tulipa?

De acordo com o Wikipedia, em um momento foram vendidos 40 bulbos por 100.000 florins. Isso dá uma média de 2.500 florins/bulbo. O salário de um holandês, a época, era de 150 florins anuais. Um bulbo chegou ao recorde de 6.000 florins.

O salário médio atual na Holanda é de 24.000 euros anualmente, o que daria mais ou menos uns 73.000 reais por ano. Fazendo uma simples regra de 3, seria equivalente a 73.000/150 * 2500. Ou seja, aproximadamente:

Um bulbo de tulipa = R$ 1.215.0000 (em valores de hoje)

Já havia regras para negociação de bulbos em 1610. Notar que alguns bulbos em 1623 já estavam na casa dos milhares. E a bolha só explodiu em 1637. Ou seja, 27 anos depois...

Será que o bulbo realmente VALIA aquilo tudo?

Fica aí para vocês refletirem...

91 comentários:

  1. A premissa óbvia citada no texto é que não me faz entender como parece lógico esse negócio de comprar o ativo sem se preocupar com a cotação. Mas enfim, o legal é que ficam os conceitos mesmo, e descobri então que tendo a ser trade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guardião,

      essa questão deveria ser a mais debatidas por Holders, pois ela foca no fluxo caixa no prazo que o cara vai receber, sem considerar a venda do ativo, sacou?

      Você deveria comprar, quando visualizasse que o fluxo de caixa recebido é maior do que o preço.

      Você deveria vender, quando visualizasse que o fluxo de caixa recebido é menor do que o preço.

      Note que nessa abordagem não é considerada a VENDA do ativo. Apenas os fluxos de caixa, entende?

      Por isso que essa avaliação para Holder é bem importante.....

      No livro Warren Buffett e a Análise de Balanços um exemplo é citado...

      []s!

      Excluir
    2. Você deveria comprar, quando visualizasse que o fluxo de caixa recebido é maior do que o preço.

      Você deveria vender, quando visualizasse que o fluxo de caixa recebido é menor do que o preço.

      Faz um post sobre como entender essa relação fluxo de caixa x preço.

      Excluir
    3. Já fiz vários.... Vai no marcador Valuation.....

      Excluir
    4. Pôw dimarcinho, escreva para humanos. É notório que seus posts carecem de clareza, embora aparentem ser muitos bons!

      Afonsinho!

      Excluir
    5. Mais claro que o parágrafo do Damodaran impossível....

      Excluir
    6. Afonsinho, já viu aquele comentário sobre Buffett:

      "Buffett gosta de comprar 1 dólar pagando 50 cents"

      1 dólar = fluxo
      50 cents = preço

      []s!

      Excluir
  2. Uma dúvida: considerando que a bolha começou a se formar em 1623 e estourou em 1637, 14 anos depois, nesse intervalo, muita gente pagou caro pelos bulbos, mas também vendeu caro, concorda? Ou seja, se alguém apenas surfa na onda do otimismo exagerado, não perde nada. Não estou dizendo para seguir a manada, mas também não podemos ignorar o fato de que os verdadeiros perdedores são só os últimos a entrar na festa.

    Minha conclusão é óbvia: mais difícil do que saber a hora de comprar, é saber a hora de sair de um investimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. por isso eh importante ter um setup muito bem definido de entrada e de saida, mesmo (ou ainda mais) para ativos para B&H

      Excluir
    2. Troll,

      qual o valor da Tulipa?

      Excluir
    3. Eu respondo com base no que eu considero: menos que uma cebola, porque essa porra é sem graça e não serve pra comer. Pra mim, 1 real tá mais que pago. Tá, eu não entendo nada de tulipa, e dai?

      Excluir
    4. Anônimo,

      leia o parágrafo do Damodaran.

      Baseado nisso, pergunto novamente: qual o valor da tulipa?

      Excluir
    5. De acordo com sua definição, poderia dizer que um bulbo de tulipa ter o poder de gerar o fluxo de caixa de 10x tulipa, pois cada bulbo, a cada temporada tem o poder médio de produzir mais 10 bulbos por bulbo inicial.

      Agora, quanto é o preço da tulipa no mercado? Não sei.

      Se o bulbo tá cotado a 10,00, então o valor de cada bulbo na média seria o que?

      Em vez de clarear, escureceu mais.

      Excluir
    6. Pois é.... viu que não é tão simples, né? Mas vc foi mais longe;

      Estou falando do cara que apenas comprava para revender. Neste caso não há absolutamente fluxo de caixa algum gerado pelo "ativo". Existirá apenas a venda.

      Assim, como não há possibilidade de ver o preço do bulbo no futuro, é puríssima especulação. E isso vale para a maioria das commodities....

      Como escreveu Damodaran: "um investimento SÓLIDO"....

      Excluir
    7. eu de novo.

      então nestes termos, uma ação basicamente de crescimento (esquece a lei brasileira de lucro) que não paga dividendos (ex. berkshire de buffett) teria que passar por um crivo diferente de uma dividendeira?

      Excluir
    8. Neste caso vc avalia o crescimento dos lucros da empresa, ao invés de avaliar os dividendos que vão para o acionista.

      Excluir
  3. Acho que esta questão de "não olhar preço" é tão absurda que nem deveria ter toda esta atenção. Quando na vida, em questões envolvendo dinheiro, vocês deixam de levar em consideração o preço de algo que está pagando? Eu sempre faço uma avaliação do preço sobre a coisa que pago, seja um alimento, conta de telefone, um carro ou uma ação, por maravilhosa que ela seja. Eu nunca vi isso em literatura nenhuma!!!!
    Mas como tem muita gente levantando esta bandeira de que "não se olha preço", vale até uma postagem.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esta questão de preço, como tudo na vida, é relativa e tem muitos parâmetros para ser analisado. Falando por mim, ABEV caiu 2 reais e eu comprei. Se ITUB cair 2 reais eu não compro, 4 reais talvez compre, 8 reais com certeza comprarei.
      Precisamos parar de generalizar, mas algo é regra para mim, topo histórico jamais comprarei. e fundo também não compro pois nunca sei onde ele está, kkk

      Excluir
    2. UB,

      sem querer se chato, mas isso não tem praticamende nada a ver com discussão de valor.

      A questão é sobre fluxo de caixa. Vc está falando sobre preço....

      []s!

      Excluir
    3. Hahahahahaha DiMarcinho dando porrada em todo mundo.

      Excluir
    4. Anônimo,

      a questão é eu estou falando de laranjas e o UB de uvas; isso desvirtual completamende a discussão.

      []s!

      Excluir
    5. AdP,

      boa colocação. Se levamos o preço em conta pra tudo na vida, pq com ações seria diferente?

      O preço é consequência de oferta e demanda. Hoje mesmo, com greve aqui no Rio estamos vendo um exemplo clássico: os motoristas de van aumentaram as passagens de R$ 3,00 para R$ 10,00.

      O que o pessoal tem uma dificuldade absurda de entender é que um holder paga pelo fluxo de caixa futuro....

      []s!

      Excluir
    6. Discordo que holder paga pelo fluxo.
      Holder paga é por cotação. Quanto mais alta, mais valoriza.
      O fluxo pode até estar descolado da cotação mas se existe uma percepção que vai melhorar a cotação pode decolar.
      Não me interessa saber sobre fluxo, quero saber é se o papel está aumentando a cotação.
      Tendeu tendeu ?

      Afonsinho!

      Excluir
    7. Afonsinho,

      vc foi na trave.

      Você paga a cotação.
      E você recebe o fluxo, se for um verdadeiro holder (segurar o papel ad infinitum).

      Se vc tá olhando a cotação, então não é hoooooooooooolder, né??? ;-)

      Excluir
  4. Independente do método de precificação, considero-os fundamentais. Inclusive invejo (no bom sentido da palavra) o conhecimento que você tem de Damodaran e me empenharei em estudar seus livros. Pagar caro por retorno baixo é burrice em qualquer tipo de investimento, então porque não o seria com ações?
    Eu ainda uso métodos simples de precificação, aprendidos com Graham e Bazin: P/L e DY (considerando o pay out) ou, no máximo, FCD.
    E quanto ao que o Troll comentou eu sigo uma regra simples: se tá caro não compro, mas também não saio (como faz o Barsi) porque se a bolha continuar ou estourar não fará diferença pra mim, porque de qualquer modo entrei barato e não comprarei caro.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Thales,

      to contigo! rs

      A questão de vender é para otimizar o lucro, visto que está havendo oportunidade... hehe...

      []s!

      Excluir
  5. O Bastter vai dizer que valuation é coisa séria e que não se faz apenas com fórmulas mágicas.

    Que muitos confundem preço x valor.

    Que deve acumular patrimônio diversificado (TD, FII e Ações) e que o preço não importa.

    O que acham?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dizer que algo é sério, para de alguma maneira desqualificar uma outra forma de pensar, sem dizer absolutamente nada objetivo, não é lá um argumento muito consistente, não acha amigo anônimo?

      Sobre diversificação ninguém discorda, sobre acumular patrimônio ninguém discorda, sobre o preço não importar, voltamos ao ponto do presente artigo.

      Abraço!

      Excluir
    2. Boa, soulsurfer. Um erro não justifica outro. E ausência de argumento negativos também não prova nada. Falar que precisa juntar dinheiro é o óbvio.

      Anônimo, vc acha que o mercado não é coisa sério? São milhões e milhões sendo movimentados. Fortunas são feitas e desfeitas do dia pra noite. E vc acha que não é coisa séria?

      E, na boa, prefiro dar ouvidos ao Damodaran do que ao Bastter. Claro, cada um tem suas preferências.... tem gente que prefere levar o filho doente na macumba do que no médico......

      Excluir
    3. "tem gente que prefere levar o filho doente na macumba do que no médico..."

      Exato DiMarcinho, e muitos destes são curados por macumbeiras, rezadeiras ou qualquer "eiras" dessas que tratam de mal olhado, doenças espirituais, etc.

      Enquanto muito vão aos Médicos com seus filhos e veem sua prole morrer por infecções generalizadas, procedimentos mal feitos, etc.

      É importante perceber que cada investidor deve seguir o SEU caminho, os SEUS critérios.

      E o fato de acertar ou errar em qualquer estratégia não caracteriza ou descaracteriza a eficiência desta estratégia em todos os casos. Seja entre escolher comprar preço ou valor, seja entre escolher se tratar em um médico ou um macumbeiro...

      Excluir
  6. Eu acho que todo mundo deve ler as opiniões do Bastter, desse blog, de outros blogs, estudar Damodaran, Buffet, Lynch, etc ... e tirar suas próprias conclusões.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, anônimo, eu concordo com vc, mas com ressalvas.

      Por exemplo, a questão das estratégias é indiscutível; é matemático, é ciência exata.

      Já sobre outros assuntos mais subjetivos, ok, podemos refletir.

      Mas, normalmente, o que eu tenho colocado ultimamente são mais fatos do que achismos meus, entende?

      O Bastter, por exemplo, fala que Trava de Baixa não é uma operação direcional. Cara, tem q ser uma porta pra falar isso.... é só olhar o gráfico de lucro da operaçao....

      Excluir
  7. Dimarcinho,

    Eu até entendo que os métodos de avaliação podem ser úteis para o chamado trade de valor, mas tenho minhas dúvidas sobre a eficácia no longuíssimo prazo. De qualquer maneira não quero entrar na discussão em torno desta polêmica.

    O que eu acho que que estes exemplo extremos como o da Tulipa não levam a nada, pois não tem nada a ver como a realidade atual, num mundo com muito mais informações e estudos que naquela época. Você pode até dizer que "ah, mas vivemos isso na bolha da Internet ou com as empresas do Eike Batista". Isso é verdade, mas veja que mesmo os métodos de avaliação de preço justo erraram nestes casos, pois tentaram estimar fluxos de caixa futuro baseado em expectativas que não se concretizaram.

    Acho que as pessoas erram ao não notar que a exagerada frase "preço não importa" sempre vem acompanhada de "para empresas que tenham valor" (ou boas empresas, como queira).

    O ponto da precificação ou valuation é que é muito difícil acertar, pois existe um número enorme de premissas que devem ser assumidas sobre o futuro que podem torná-la totalmente incoerente.

    De qualquer forma ficou claro o que você entende e o mercado avalia como valor.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apenas para ficar claro, sobre os exemplos que dei da bolha da internet e das empresas X, as empresas eram pré-operacionais com altíssimas expectativas futuras e portanto não se comparavam com investimentos em empresas sólidas e com lucros consistentes, que é o perfil de empresas em que tipicamente adeptos do Buy & Hold devem ter em carteira.

      Excluir
    2. EI,

      se você for Holder, de verdade, então fica da seguinte maneira:

      O que você gasta = preço
      O que você recebe = fluxo

      []s!

      Excluir
    3. E EI,

      vamos focar no essencial. Vcs têm mania de desvirtuar os assuntos. Coloquei acima e vou repetir:
      O que você gasta = preço
      O que você recebe = fluxo

      Você DISCORDA disso? Se alguém discorda disso, então é bastante complicado.

      Já a questão sobre a PREVISÃO dos fluxos.... bom, aí é ouuuuuuuuuuuutra história.

      Excluir
    4. isso mesmo, "fluxo" é o que você recebeu (no passado). "Fluxo estimado" é o que você espera receber e é aí que mora o perigo e onde estão as premissas que falei

      Excluir
    5. Exato.

      E se o que você espera receber, em termos de valor presente, é menor do que o que você está pagando.......... então........ prejuízo!!!!!! hehehe

      []s!

      Excluir
    6. Não necessariamente. Na verdade é uma estimativa de prejuizo baseada em premissas. A realidade pode ser igual ao estimado, prejuizo maior, menor ou lucro. Tudo depende de acertar as premissas.

      Abraços

      Excluir
    7. Sim, concordo contigo.

      Mas então você entende que, caso as premissas se concretizem e o preço de compra neste momento estava acima do fluxo, o investidor perderá dinheiro, né?

      Excluir
    8. Sim.

      Na sua opinião, qual a probabilidade de um pequeno investidor acertar nas premissas no longo prazo?

      Excluir
    9. Depende do investidor.

      É um investidor que procura estudar, buscando conhecimento sério e reconhecido ou ele visita apenas blogs de amadores, compra ebooks de amadores e frequenta sites de falsos gurus?

      Dependendo do tipo de investidor, dá pra saber a resposta.

      Excluir
    10. Poh, não fica em cima do muro.

      Esquece os sites de falsos gurus, estou falando de você.

      Se puder responder na média o que você acha também seria interessante.

      Excluir
    11. Quem está em cima do muro?

      Sobre a minha pessoa? Estou estudando diminuir a probabilidade de erros nas previsões.

      Não entendi o que vc quis dizer com "responder na média". ????

      Excluir
    12. EI e DI Marcinho,
      É claro que é difícil prever o fluxo de qualquer coisa com várias variáveis incluídas.
      Quanto mais previsível o fluxo, mas fácil a precificação. Exemplo? Vai no google finance, e digite o código da Coca-Cola.
      Aqui os dados fundamentalistas da empresa : https://finance.yahoo.com/q/ks?s=KO+Key+Statistics

      Aqui estimativa de analistas: https://finance.yahoo.com/q/ae?s=KO+Analyst+Estimates

      Ora, a COCA é uma empresa mais do que madura, não vai haver grande discordância sobre os fluxos futuros. A avaliação de uma empresa dessa é bem mais fácil. Tanto é assim, que o P/E dela projetado é idêntico ao P/E do S&P500.

      Entretanto, se pegarmos uma empresa menor, uma empresa cíclica, uma empresa que pode ser um turnaround, com problemas operacionais, é claro que a "previsão" desses fluxos fica mais difícil, e pode levar a erros de VPL muito gritantes.

      O que fazer? Simples, seja conservador em suas premissas de lucro projetado, perpetuidade e taxa de desconto.
      Ser conservador vai apenas fazer que você fique de fora do mercado por mais tempo, talvez. Esse é o maior risco de fazer valuation de maneira conservadora, não comprar BB a R$18,00, e ficar com medo que a ação vá a R$9,00, por exemplo. Quando se é conservador, a margem de segurança é imensa, e dificilmente empresas boas vão estar nessa faixa. Você pode se tornar menos conservador, ou você pode simplesmente ignorar a precificação. Eu não gosto de ignorar.

      O que eu falei vale para qualquer mercado e ativo. Entretanto, o Brasil tem um diferencial. Se eu ficar líquido em títulos de curta duração no mercado americano, eu vou receber 0%, ou seja se eu perder pernadas de alta, o meu custo de oportunidade é gigantesco.

      E se eu ficar líquido no Brasil? Eu recebo 11% na taxa livre de risco. Isso é uma diferença absurda. E se a taxa subir para 13%? Logo, o custo de oportunidade se ficar líquido é quase inexistente no Brasil. Logo, ser conservador aqui para mim é a melhor pedida.

      O CDI aqui nos últimos anos foi de mais de 3.000%, isso mesmo contra 2.000% do IBOVESPA. Logo, quem tinha 1 real hoje tem 30 reais, apenas por deixar o dinheiro parado num banco. Essa nossa taxa de juros alta distorce muita coisa, por isso que os livros estrangeiros ,que são os que possui conhecimentos bem melhores do que os livros nacionais, precisam ser lidos com essa peculiaridade do mercado brasileiro em mente. Simplesmente trazer alguns conceitos de lá para cá, sem levar isso em conta, pode causar distorções.

      Abraço!

      Excluir
    13. Fala, soulsurfer,

      comentário perfeito.

      Adicionaria ainda que é normal realizar várias projeções e colocá-las dentro de um universo de probabilidades. Por exemplo, 5 cenários: Péssimo, Ruim, Médio, Bom, Excelente.

      Citando a própria OGX, a questão sobre empresas pré-operacioanais. O risco delas é muito maior, justamente pelo fato de não haver aquela certeza de continuidade operacional. Nestes casos a exigência de conhecimento profundo do negócio é ESSENCIAL. Não é pra olhar uns múltiplos do site do fundamentus, acreditar em umas projeções de Powerpoint do CEO e vamos acreditar nisso. O buraco é muito mais embaixo.

      Eu sempre desconfiei da OGX. De petróleo eu entendo alguma coisa. Eu já achava as metas deles absurdas: muito maiores do que qualquer empresa do ramo. A empresa estava começando do zero, sem sistemas, sem absolutamente nada. Vcs não tem IDEIA do que é a área de Petróleo. Isso por si só já era suficiente para eu desconfiar e muito (e sempre falei isso abertamente).

      Mas uma coisa que chamou minha atenção foi a questão da divulgação de hidrocarbonetos. Amigo, na bacia de campos, qq lugar q vc fure vai dar positivo para acumulação de hidrocarbonetos. Agora, entre achar hidrocarbonetos e achar um reservatório economicamente viável de petróleo, vai um muuuuuuuuundo de diferença.... inclusive, poder poço seco nessa bagaça....

      A Petrobras, por exemplo, normalmente só divulga quando já está certo haver petróleo.

      Outro episódio foi o das reservas divulgadas. Aquilo foi ridículo demais. Por exemplo, a Petrobras hoje possui dados que podem atingir até 100bi em reservas. Não é tão improvável. Mas dada metodologia utilizada, divulga-se muito, mas muito menos. O que o Eike fazia era o contrário: divulgava o máximo e improvável. QUALQUER pessoa da área de petróelo sabia disso.

      Mas e os analisas que só olham múltiplos e powerpoints? Como eles iriam saber disso, se eles não entendem absolutamente nada sobre o NEGÓCIO petróleo?

      Essa falta de transparência com o acionista sempre me deixou com o pé atrás, e por isso fiquei fora. Na verdade, hoje eu teria outra atitude: apostaria mais nas quedas, com put's. Um papel com aquela volatilidade é um prato cheio pra quem gosta de opções.

      Enfim, como diz Buffett, você entender de um negócio a fundo é mais importante. E por quê? Pois aí sim, vc conseguirá vislumbrar cenários mais reais e, baseado nisso, traçar premissas e projeções mais próximos da realidade. O papel ter chegado a 20 reais mostra o quão fora da realidade estava o mercado.....

      Na outra ponta, temos a Petrobras que sofre com a ingerência do governo, mas vem melhorando cada vez mais suas metas operacionais..... e o mercado só castiga.... o pré-sal só aumenta.... e o mercado só castiga....

      Acho que ninguém entende porra nenhuma de petróleo no mercado financeiro, kkkkkkkkk

      []s!

      Excluir
    14. dimarcinho, você está em cima do muro. Estou perguntando qual a probabilidade de alguém acertar e você não respondeu. Quero saber em números ou %.

      Quando falei em média, quero saber na sua opinião, em média (de um universo de investidores amadores informados e estudados) qual a probabilidade deles acertarem as premissas no longo prazo (10, 15 ou 20 anos).

      Com respeito ao ponto do negócio de petróleo, respeito seu conhecimento na área, mas eu acho um pouco prematuro alguém que trabalhe há 3-4 anos na Petrobras afirmar que conhece bem o NEGÓCIO de Petróleo. Mas se acha que realmente conhece o suficiente, Parabéns!

      Abraços

      Excluir
    15. Di Marcinho,
      Eu lembro dos seus comentários antes da festa acabar para a OGX.
      Eu não entendo nada de petróleo, você trabalha com isso, é diferente. Olhar balanços de qualquer empresa não vai me fazer entender do negócio dela de forma profunda, apenas superficial, apenas se alguém quiser devotar 14 horas por dia para isso.

      Portanto, a única solução, na minha forma de perceber as finanças, é ser conservador. Aqui no Brasil, como eu disse no meu texto, vale a pena financeiramente ser conservador. Se eu tivesse num país com taxas de juros de curto prazo perto de 0% e taxas de 10 anos a 2,54%, aí sim eu ficaria mais preocupado em ser conservador.

      Se perguntasse para o Grahan (ou qualquer doutrinador de finanças conhecido como Bogle, Ferri, Berstein, Klarman, etc) olha eu tenho aqui RF pagando 12% aa, coloco 80% em ações? Eu duvido que a resposta dele seria sim, principalmente para investidores amadores sem muito tempo e conhecimento.

      Abraço!

      Excluir
    16. Até porque, um dos critérios de compra do Grahan, pouco comentado das pessoas que escreve sobre ele aqui, é que os earning yields (pega o P/L, transforma em L/P, tem-se o earning yields) fosse preferencialmente o dobro do yield de um BOND AAA. Vamos considerar uma debenture incentivada da Vale, para o nível de Brasil, um título confiável. Ela vai pagar algo em torno, a depender da inflação, uns 13% aa líquido.
      Quero ver achar uma empresa com earning yield de 25/26%.

      Abraço!

      Excluir
    17. EI, você não precisa acertar. Olha lá minha mensagem de novo.
      Esse é um erro quando se fala de valuation. O objetivo não é acertar, pois estamos falando de probabilidades aqui. O objetivo é ter margem de segurança.
      É parecido com os odds de poker e com o pote que possui. Só faz sentido continuar jogando se as probabilidades estão a seu favor, e se o pote vale a pena ser disputado.

      Abraço!

      Excluir
    18. surfista, eu não tinha tido tempo para responder a sua mensagem anterior, mas quero deixar claro que seu comentário foi perfeito, como sempre.

      Neste comentário você deixa claro e cristalino uma estratégia conservadora de investimento. Chamo de conservadora porque está optando por manter boa parte dos recursos em RF e usando uma técnica de valuation conservadora (com alta margem de segurança). Eu acho esta estratégia perfeita para o cenário Brasileiro, mas temos que concordar que é realmente conservadora.

      Eu particularmente tenho algumas observações com relação à RF (TD), pois as rentabilidades brutas são afetadas fortemente por inflação e IR, o que torna a rentabilidade real menos atrativa do parece. Veja que o CDI médio nos últimos anos está entre 8 e 9%, portanto a rentabilidade real não é tão atrativa assim, apesar de ainda ser boa para a RF.

      Caso o investidor decida ser mais agressivo, automaticamente ele está aumentando o risco (seja por aumentar a porção em RV ou por adotar uma margem de segurança menor). E aí entra o ponto da dificuldade em acertar as premissas. Mesmo diminuindo a margem de segurança, ainda existe a probabilidade de errar "ao contrário", ou seja, subestimar e perder a chance de aportar em uma empresa que traga excelentes retornos por ter sido considerada "cara".

      Você deu o exemplo dos diferentes tipos de empresa e está claro que empresas como a Cola-Cola (nossa paralelo aqui é a Ambev) estará sempre "cara", pois ela oferece previsibilidade e o mercado precifica isso. Sendo assim, fica dificil para um investidor "conservador" entrar nesta empresa, pois se ele colocar uma boa margem de segurança, ela nunca chegará no preço (exceto em bear markets). Mas isso se torna paradoxal, afinal as empresas mais previsíveis, naturamente deveriam ser os investimentos mais "conservadores" ou as chamadas ações defensivas.

      No fundo isso tudo é estratégia e depende de cada um.

      Abraços

      Excluir
    19. Olá, EI!
      Desculpe, não quis parecer mal-educado:)
      Claro, ela é conservadora, pois eu já tenho um patrimônio consolidado. Como não quero ser ultra-milionário, e o dinheiro para mim é um meio e não um fim, uma estrategia mais conservadora faz sentido.
      Se eu tivesse num momento de vida diferente, com certeza poderia ser mais agressivo (aliás eu sou agressivo, mas em outros negócios).
      Entretanto, a "agressividade" tem que compensar o risco assumido. E no caso do Brasil, por uma distorção no juros, esse retorno, em minha opinião, deve justificar bem.

      EI, ações também tem IF, a isenção de 20k é para patrimônios pequenos em ações até uns 200/300 mil. No exterior, contanto dos impostos, estamos falando de juros reais negativos. Os retornos em média do mercado acionário são 12 a 15% dependendo do período. Acreditamos mesmo que o mercado como um todo aqui vai entregar 25% aa em períodos longo de tempo para justificar as altas taxas de juros, eu acho difícil.

      Os juros no Brasil, é verdade, vem em trajetória de queda, até porque nenhum país sobrevive com juros de 20% por várias décadas né? Concordo, isso vai fazer que o mercado acionário se torne mais atrativo com o passar do tempo. Entretanto, o cenário para os próximos anos é de aumento dos juros, não o contrário.

      Por fim, ser conservador, pode nos deixar fora de algumas pernadas de alta, mas com certeza nos deixa muito mais confiantes nos momentos de desespero.E nesses momentos, e eles tendem a aumentar pela maior instabilidade dos mercados mundiais, podem valer muitos anos de uma estratégia de não se importar com a precificação.

      Concordo que é estratégia de cada um. Concordo que o investidor tem que se sentir confortável. Você é um cara bem inteligente, e percebe que se diz por aí muitas bobagens sobre buy and hold e precificação. Assim, se essa estratégia está te deixando confortável, ótimo.
      Foque agora em aportar mais, e aproveitar a vida.

      Abraço!

      Excluir
    20. Fala, EI,

      não estou em cima do muro. Mas seria de uma absurda irresponsabilidade minha inventar um número para você dizendo q % acertarão as previsões. Pode ser até que haja estudos deste gênero, eu não conheço.

      Mas, sem sombra alguma de dúvidas, alguém que esteja estudando como o fazer terá uma probabilidade muito maior de acertar do que aquele que não estudar.

      Qual a probabilidade de alguém encontrar uma falha grave em um prédio? Um engenheiro competente ou um pedreiro competente?

      Então, novamente: obviamente o cara que estuda possui probabilidades muito maiores a seu favor no tocante a previsões acerca daquele negócio do que aquele que não estuda.

      Agora, por favor, leia com calma. Quando falei que sou expert no NEGÓCIO petróleo? Leia novamente o que escrevi: "De petróleo eu entendo alguma coisa."

      Se isso soa para você como expertise, sugiro dar uma melhorada na interpretação de textos.

      Agora, se não você não é do ramo de petróleo, eu aposto o que você quiser q eu entendo sobre este negócio zilhões de vezes melhor que você e da maioria dos analistas que nunca pisaram numa plataforma.

      E o ramo de petróleo é diferente da maioria das empresas. Vc não entra e sai trabalhando. Na Petrobras, primeiro você faz um curso para entender o funcionamento da sua função dentro da emrpesa. Para os cursos de nível superiro como o meu, você fica +/- 1 ano apenas estudando e apredendo sobre o negócio. A Petrobras começou a implementar isso, pois pegava os profissionais plenos e sêniors no mercado e eles não entendiam basicamente NADA do assunto. E hoje, todos que entram por concurso são júniors.

      Então, antes de falar sobre o funcionamento de uma empresa, eu sugiro q vc estude ela a fundo e não fique focado em mídia.

      E, repito, mesmo com esse treinamento e experiência eu sei apenas um pouco sobre o negócio. O que dirá destes analistas de corretora? Ou de blogueiros que não sabem a diferença entre uma gasolina reformada e uma gasolina craqueada?

      []s!

      Excluir
    21. soulsurfer, é isso aí mesmo.
      Valeu!

      Excluir
    22. dimarcinho, estamos tendo uma conversa de alto nível aqui e o objetivo (pelo menos o meu) é não baixá-lo.

      Eu acredito que um investidor como eu tenha uma probabilidade de no máximo 50% de acerto para adoção de premissas de longo prazo (20 anos), com isso não me sinto confortável com este percentual para um leigo como eu. Portanto sigo uma metodologia que não me dá muita margem para "pensar". Estou falando de mim, que fique claro.

      Obrigado pela dica de interpretação de texto, acho que vou procurar me atualizar sobre novas técnicas, pois como faz muito tempo que estudei isso, posso estar desatualizado.

      De qualquer forma eu não disse que você é um expert (ou disse?). Agora, 3 ou 4 anos, mesmo com 1 ano de treinamento me parece que não são suficientes para alguém poder imaginar o que vai ser de uma empresa como a Petrobrás daqui a 20 anos (ou dá?).

      Realmente você conhece este negócio zilhões de vezes mais que eu, o que não é muita coisa pois como não conheço nada, zilhões x nada quanto dá? rsrs

      Por outro lado eu trabalho em um mesmo ramo há 20 anos, será que eu conheço deste ramo 5 zilhões de vezes mais que você? provavelmente sim. Isso é importante? provavelmente não.

      Por favor depois faça um post para nós sobre gasolina reformada e craqueada, pode ser útil na hora de abastecer o tanque do meu carro.

      Por favor, abaixe a guarda. A idéia não é confrontar idéias para estar certo ou errado, mas para aprendermos.

      Abraços

      Excluir
    23. EI,

      "De qualquer forma eu não disse que você é um expert (ou disse?)"

      Respondo com um trecho seu:

      "respeito seu conhecimento na área, mas eu acho um pouco prematuro alguém que trabalhe há 3-4 anos na Petrobras afirmar que conhece bem o NEGÓCIO de Petróleo"

      Aquele "bem" ali indica muita coisa. Não vou ficar discutindo Português com vc, muito menos me dar ao trabalho de responder o q escreveu acima, pois vc notadamente tem dificuldades de interpretar textos, ou então está lendo corrido e não atentando aos detalhes.

      Sobre sua outra pergunta:

      "Agora, 3 ou 4 anos, mesmo com 1 ano de treinamento me parece que não são suficientes para alguém poder imaginar o que vai ser de uma empresa como a Petrobrás daqui a 20 anos (ou dá?)."

      Recomendo o curso mesmo, pois já foi respondido há muito, lá em cima.

      De qualquer forma, isto já fugiu completamente ao assunto sobre Valor, o qual vc concordou acima que é sim possível tomar prejuízo, mesmo comprando empresas em crescimento.

      Que bom que você agora concorda e sabe disso. Meu objetivo aqui é passar o conhecimento e ferramentas corretas aos investidores. Quanto ao que cada um fará com isso, é outra coisa da qual realmente não me preocupo.

      OBS.: apesar de não ser do escopo do assunto, queria muito saber como vc chegou ao "seus 50%" de probabilidade de acertar previsões. Que tipo de metodologia vc usou para tal? Certo ou errado? Se foi isso, não ajuda muito, hein....

      []s!

      Excluir
    24. Realmente preciso do curso de atualização para interpretação de textos, pois nas entrelinhas entendi que após dar uma "aula" de negócio de petróleo no seu comentário, você veio com a frase "Enfim, como diz Buffett, você entender de um negócio a fundo é mais importante.", subentendi que você estava assumindo que entendia "bem" no negócio, mas parece que não é o caso.

      Se formos discutir semântica realmente vamos ficar perdendo tempo, apesar de eu estranhar você querer perder tempo com isso.

      Eu concordo em muitas coisas com você, mas isso não significa que aprendi com você e nem que eu vá seguir isso na minha aventura no mercado financeiro, pois me conheço melhor do que ninguém para entender o que é bom para mim, concorda?

      Com relação aos 50%, te pergunto, tudo para você tem que ter uma tese científica por trás? estabeleci 50% porque é o que eu acho que serve para mim e portanto à partir da minha sensibilidade eu estabeleço minha estratégia. Você acha que eu deveria estabelecer a minha estratégia através de que?

      Abraços

      Excluir
    25. só um adendo: você disse "Então, antes de falar sobre o funcionamento de uma empresa, eu sugiro q vc estude ela a fundo e não fique focado em mídia."

      Aonde eu falei sobre o funcionamento do negócio de petróleo? Acho que você também está lendo as coisas com pressa e confundindo os comentaristas.

      Excluir
    26. "tudo para você tem que ter uma tese científica por trás?"

      Sim. Se há isso, sim, sem sombra alguma de dúvidas. Nossa sociedade só evoluiu devido as decisões acertadas tomadas dentro de uma metodologia científica.

      Qq coisa fora disso é achismo.

      Mas o mais importante que tento colocar no meu blog é que pelo menos investidor saiba o que é científico e o que é achismo. Se ele quer tomar a decisão baseado em achismo, tendo total consciência disso, ok, sem problemas.

      Os problemas que questiono aqui são justamente aqueles onde vejo o investidor investir num ACHISMO, numa ideologia, sendo que este achismo já foi derrubado cientificamente, matematicamente, teoricamente, empiricamente, enfim, não funciona!

      Não adianta o cara achar que se colocar asas de pássaros e pular de um prédio isso irá funcionar. Funciona com os pássaros? Sim. A hipótese é plausível? Com certeza. No entanto, já foi provado que não funciona. Daí o cara continuar insistindo que é possível... aceito caso ela tenha alguma teorica louca por trás daquilo. Mas se for por puro desconhecimento, daí é muito complicado.

      Em economia muias coisas são questionáveis. A questão de montar uma carteira separada de um ETF é uma delas. Abre margem para discussão, é verdade. Mas os argumentos estatísticos são fortes, isso é inegável. Mas, ainda assim, há margem para discussão.

      Já a questão se é melhor investir na Caderneta de Poupança ou na Renda Fixa (nas taxas atuais), é INDISCUTÍVEL que é melhor na renda fixa (dado o prazo acima de 1 ano, é óbvio).

      Por ex, quando o investidor compra um papel para o longo prazo, é INDISCUTÍVEL que o que ele receberá neste prazo serão os dividendos e juros......

      Se ele toma as decisões sabendo disso, ok. Agora, se ele é do tipo de cara mal informado e está meio perdido neste mar revolto do mercado financeiro, aí é uma história muito diferente. O investidor precisa de informação abundante e de qualidade para, aí sim, escolher a melhor estratégia para ele, onde se sinta confortável.

      []s!

      Excluir
    27. Meu Deus, cara, que dificuldade.

      Eu tenho capacidade de analisar melhor um negócio de Petróleo do que 95% dos analistas de corretoras e bancos, independente do prazo.

      Entendeu agora ou preciso ser mais claro? E vou generalizar:

      A pessoa que estuda sobre uma área X entende melhor deste negócio X melhor do que 95% dos analistas de corretoras e bancos.

      Agora foi?

      Excluir
  8. Cotação não importa, já dizia o Bastter.
    E é verdade. Uma empresa de valor, pouco importa se você está comprando no topo ou não.
    Embora estranhe o AdP valorizar cotação, entendo que isto pode ser uma má compreensão do conceito explanado pelo Bastter.Sugiro ver os vídeos que esclarece este conceito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você for Holder, de verdade, então fica da seguinte maneira:

      O que você gasta = preço
      O que você recebe = fluxo

      []s!

      Excluir
  9. Uma pergunta que gostaria de fazer ao Damodaran seria, onde e como é mensurado o valor das marcas nas ações? Afinal, quando compramos valor, compramos parte da marca e que em algumas empresas tem um valor na maioria das vezes intangível e a complexidade envolve conceitos emocionais dentro do mercado onde a empresa faz parte e que no longo prazo pode trazer impactos no fluxo de caixa de forma bem positiva como negativa, portanto o conceito de marca, psicologia organizacional, marketing devem fazer de qualquer análise com relação ao valor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Fábio!

      O livro citado divide-se em 3 partes:
      I - Avaliação pelo Fluxo de Caixa Descontado (o que quase ninguém aqui faz)
      II - Avaliação Relativa (usando os múltiplos, o que todo mundo aqui faz)
      III - Questões mal resolvidas na avaliação de empresas (o que ninguém faz)

      Nesta terceira parte ele se dedica aos seguintes capítulos:
      10 - Caixas, Investimentos em Participações societárias e outros ativos
      11 - Opções de compra de ações e compensações a funcionários
      12 - O valor dos intangíveis
      13 - Valor do controle
      14 - Valor da liquidez
      15 - Valor da Sinergia
      16 - Valor da Transparência
      17 - Custo de Dificuldades Financeiras
      18 - Considerações Finais

      É bastante interessante, li rapidinho aqui na diagonal agora. Ainda to travado no capítulo 4, to focado em outros assuntos ultimamente. Mas quero voltar assim que possível.

      []s!

      Excluir
    2. Pois é, vou comprar o livro e analisar a visão dele sobre o valor dos intangíveis e procurar alguns artigos se ele ou algum cara top me esclareça essas questões, estou pensando em produzir um artigo acadêmico sobre a pergunta que fiz e tentando responder mas sei que não vai ser nada fácil, talvez se ele me responder facilite meu trabalho mas valeu por ter colocado os capítulos. Abraços

      Excluir
    3. Esse livro é denso. Eu to travado nele, pois cada página vem MUITA informação. A notar por esse simples parágrafo de introdução q eu coloquei. Note como em apenas um parágrafo ele já define conceitos que nem mesmo aqui na blogosfera o pessoa tem conhecimento.

      Mas, a diferença de ler algo bem escrito e por alguém inteligente é sem igual.

      []s!

      Excluir
  10. me desculpe mas isso eh tudo bullshit
    BH foca em boas empresas e lucros consistentes e esquece q cotacao existe
    so trader q olha cotação
    valuation eh rolo de sardinha deslumbrada q acha q eh Warren Buffett
    maioria perdedora segue manada, compra no topo e vende no fundo
    assista meu video ai embaixo sobre esse mito de valuation

    GENTE, VAMOS ACABAR DE UMA VEZ POR TODAS COM ESSA ESTORIA ABSUUUURDA DE VALUATION!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bastter, me responde uma coisa q sempre tive dúvidas:

      Vc fala que o Holder não tem que olhar cotação E também fala pra fazer Venda Coberta com os ativos de B&H.

      Me responde agora: já não devo olhar pra cotação do meu ativo de B&H, como é q eu vou fazer a Venda Coberta sem olhar a cotação????

      Essa dúvida tá me matando. rsrsrsrsrsrsrs

      Excluir
  11. Honestamente médico querendo analisar empresas é algo que eu não consigo entender,seria como um administrador analisar alguma área da medicina e além disso se o cara é tão mostre a carteira,como nós fazemos aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não vejo problema nisso, desde que se estude. Caso contrário, eu estaria indo contra mim mesmo, afinal de contas, o que um Engenheiro Químico está se metendo a analisar empresas?

      No final, ninguém nasce sabendo, é uma questão de estudar.

      Agora, difundir e, pior ainda, VENDER informação errada é tenso..... ou o cara é inocente ou vigarista, não tem escapatória....

      []s!

      Excluir
    2. Exatamente mas você tem ótimas referências na área da administração como o Damodaran e argumenta, agora alguém que fica repetindo a mesma coisa sempre e não sabemos como funciona na prática, me lembra um professor que só fica na teoria e quando vai para a prática fica perdido.

      Excluir
  12. Marcio, desde quando analisar marcas, estratégia da empresa, gestão organizacional é analisar cotação? É mais fácil falar que é bullshit do que argumentar, afinal é mais fácil ficar repetindo a mesma coisa sempre do que mostrar as empresas que investe e como investe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema é que é difícil vc desfazer uma lavagem cerebral.... não sei se já frequentou lá a área do Cão, mas é como uma seita: se vc discordar, está fora. Engraçado que funciona no mesmo estilo de uma autocracia....

      Excluir
    2. Noto que aqui é uma democracia

      Excluir
    3. Democracia tem regras.

      Numa sociedade, os bandidos são punidos.
      Aqui, os trolls são punidos.

      Very simple.

      Excluir
    4. entendi, quem tem opinião contrária é bandido

      Excluir
    5. engraçado que no livro do bastter ele é bem coerente, mas no dia a dia parece que é diferente...

      Excluir
  13. Quer dizer agora que pra investir em ações tem que ser formado em administração de empresas ou economia?

    Médico, dentista, cabelereiro, faxineiro nem pensar?

    ResponderExcluir
  14. Acho que o Bastter faz um trabalho importante ao ensinar a separar o joio do trigo. Isso é uma questão de sobrevivência no mercado acionário e, creio, ignorado pela maioria de CPFs que se lançam no mercado. Me ajudou bastante a compreender as questões básicas, a desmistificar e ter uma abordagem mais realista do mercado de ações. O foco que ele propõe em educação financeira e carreira também são importantes. Mas é preciso pensar além. A mesma boa simplificação de comparar comprar um negócio da bolsa com uma padaria (atrelando um ticker a um negócio real, fato ignorado por muita gente) vai de encontro à simplificação nefasta que faz desconsiderar por completo o preço de aquisição daquela mesma padaria.

    Eu compreendo que um completo leigo tentando precificar na Bovespa tem uma probabilidade enorme de se meter nos maiores rolos possíveis, mas tão danoso quanto é se lançar a pagar preços irreais por determinados valores e seus possíveis retornos.

    Outra simplificação frágil é ensinar que dividendo não muda coisa alguma, como se aquele desprendimento do valor da empresa em favor do acionista representasse um golpe fatídico em sua capacidade de gerar caixa e valor pro futuro. Algo como: paga o dividendo e vai à bancarrota no dia seguinte.

    O caldo dessa mistura simplificada pode causar grandes prejuízos, como pagar uma estimativa de lucros robusta em empresas de dividendos já estagnadas, com PY de 100%, ou seja, já distribuindo todo o seu resultado e, ainda assim, considerando o tal preço que deveria ser ignorado, remuneram em apenas 1% nos tais dividendos, que "não servem para nada".

    Pela descrição, qualquer um sabe qual é a empresa que citei. Ninguém tem dúvida de que é uma ótima empresa, como não restam dúvidas de que as expectativas eram irreais, tanto que se desmancharam. Queda de 40% não é simplesmente fluxo e pra ver um rombo desse no financeiro nem precisa olhar cotação.

    Tomando esses fumos você começa a questionar o mantra de esquecer preço a qualquer custo.

    Já pensava nessa discrepância risco vs. retorno que os juros altos brasileiros acabam por proporcionar na renda fixa comparada às ações.

    O fato da bolsa brasileira ser ainda incipiente também não parece tão bom quanto parece: perde-se muito em não ter em alguns setores base comparativa robusta; enquanto no mercado acionário americano quase toda empresa tem capital aberto, sendo possível o cotejo de balanços, market share, margens etc; por aqui isso é muito mitigado e você não tem a certeza de estar investindo num grande player daquele mercado, que possa gerar uma vantagem competitiva boa e durável (vg.: eu posso conhecer tudo sobre Natura, mas não posso ter informação alguma de Jequiti, Yes, Boticário, Avon etc).

    Aprofundando a leitura, percebi que essa abordagem de não considerar o preço não encontra respaldo em qualquer literatura, pelo contrário, exemplos de que não é bem assim que funciona existem aos montes no básico, porém ótimo livro do Mizrahi.

    Sigo em minhas posições em TD, FII e ações - pois tive a felicidade de escolher bons ativos. Mas algumas coisas não alocadas como Mult, ODPV, que me ponho a questionar hoje em dia, talvez esperem mais ou darão lugar a coisas que vejo melhores, mais reais e duráveis no momento.

    Alguma margem de segurança é importante sim. Posso ficar longe de grandes altas sim. Sim, eu não adivinho o futuro. Sim, aquela estimativa de crescimento de LPA mais módica que fiz pode não se concretizar. Mas comprar algo a qualquer preço porque aquelas expectativas presentes se concretizam no longo prazo é só outra forma de prever o futuro: e uma previsão extremamente otimista e, por isso, extremamente falha, pois pressupõe dar certo sempre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa reflexão sobre o case "Bastter". Para mim, o site do Bastter é interessante pelo quadro de ações, que reúne os principais dados históricos da empresa. Bastter é bom para o iniciante meio deslumbrado com a Bolsa, achando que vai ficar rico em seis meses. Ele fala a real para o cara: primeiro, sobreviva para, depois, tentar ganhar dinheiro. Mas para por aí. O resto dos ensinamentos parece religião: não olha cotação, dividendo é ilusório (sai do preço da ação) etc. E como qualquer religião fundamentalista tem um exército de fanáticos seguindo o "Fuhrer" cegamente. Às vezes, num fórum a discussão começa boa até chegar o Bastter com seus comentários redutores (isso é bullshit, sardinha é que olha cotação, etc), apoiado pelas bastteretes. No final, pesando tudo, acho que o Bastter faz um mal para o cara que está tentando investir em "renda variável". Sem falar que o cara é muito, mas muito grosso.

      Excluir
    2. Olá, Pollock,

      concordo em absolutamente tudo contigo. É isso que venho tentando mostrar pro pessoal. De qual livro vc está se referindo? Não conheço.

      Anônimo,

      é bem por aí mesmo: bom pra cair a ficha, ruim pra investir de verdade.

      []s!

      Excluir
    3. Um das maluquices dos Bastter é sobre os dividendos que são descontados da cotação ( do valor de mercado ) e por conta disso não gera benefícios aos acionistas.
      Não sei se concordam, mas a distribuição de dividendos gera beneficio financeiro e sobre o valor de mercado são descontado trocentos outros fatores além dos dividendos dos quais não geram nenhum tipo benefício. O Mercado acorda de mal humor, sai um resultado ruim, a estimava futura não é boa, em fim , tudo isso é descontado do valor da cotação e o acionista não recebe nada por isso...

      Outra situação, veja, quando a empresa não distribui dividendos e reinveste mal o lucro. O Patrimonio líquido cresce, o ROE ( restorno sobre o patrimonio) e a empresa passa a ser negociada abaixo do seu valor patrimonial..Neste caso, o Mercado vai descontar esse mal desempenho do preço de mercado e os socios não vão receber nada por isso. Eu particularmente, neste caso, preferiria receber os lucros retidos em forma de dividendos e ter algum beneficio financeiro

      Excluir
    4. Fala, Julio,

      se a expectativa é de que a empresa continue crescendo é verdadeiro, então o pagamento de dividendos é ótimo.

      []s!

      Excluir
  15. Dimarcinho, o livro é o Monte uma carteira vencedora, do Charles Mizrahi. Ótimo livro. Mas, insisto, lido antes de conhecer o Bastter, teria uma propensão bastante grande de fazer bobagem. Por exemplo, o Charles segue uma linha de que "concentrar" é bom. Eu discordo, sobretudo para o pequeno investidor (veja - a depender de qual pequeno investidor tratamos: o pequeno investidor que tem disponibilidade de escarafunchar empresas talvez possa concentrar mais; eu, pequeno investidor servidor público, que segue estudando para concursos, não desejo e nem posso perder muito tempo com isso hoje, focando em dobrar meu poder de aporte).

    Outra característica importante da filosofia do Bastter é a de ensinar a duvidar de todo mundo, estudar e extrair um método que seja apenas seu. Infelizmente, ele ao distribuir porrada em quem sustenta algo diferente de sua filosofia, acaba por deixar subliminar: "duvide de todos, menos de mim e do meu método". E isso é ruim.

    Outra coisa que acho ruim e vocês na blogosfera fazem: abrir a carteira e a rotina de aportes, ora:

    a) Se eu não creio na eficiência unânime do mercado na conformação de seus preços;
    b) Se eu me julgo capaz de encontrar empresas negociadas abaixo de seu valor subjacente;
    c) Se eu não sou o Buffett e não posso comprar metade de uma empresa dessas ao encontrá-la sem comprometer minha diversificação;
    d) E, logo, quero comprar um bom valor descontado com periodicidade;
    e) Porque raios eu vou gritar pra todo mundo que encontrei algo que penso de valor e barato e quero acumular por bastante tempo?

    Não entendo a lógica de abrir para todo mundo minha estratégia, dizendo o que eu estou comprando, comprado e o porquê.

    Isso é um pouco exagerado da minha parte ao superestimar o alcance da blogosfera; mas acho que vocês talvez subestimem um pouco também.

    Aí acaba ficando uma coisa de egos, disputa de rentabilidade de carteira. E aí pode começar um mimetismo, uma cópia daquele que num determinado momento teve uma melhor rentabilidade e isso acaba por diminuir a evolução pessoal como operador em si.

    Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, o dia que nós fizermos força para empurrar os papéis para cima, vai ser ótimo, kkkkkk

      Dois pontos:

      1 - Dentro da técnica de valuation, a ideia seria tentar antecipar os fluxos de caixa. Se houve uma destrava de valor e o ativo subiu ao ponto de atingir o "preço justo", então é muito melhor eu vender logo ele buscar novas oportunidades. Ganho tempo de vida (não precisarei esperar os anos a fio para ver o retorno...)

      2 - Em vista disso, não vejo como pode ser ruim.... não tem oportunidades? Renda fixa, oras!

      Bastter é bom em dosagem moderada pra baixa.... rsrsrsrs

      A questão da concentração é o que Buffett prega: concentre em negócios que você REALMENTE entende.....

      []s!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...